Pub

Dos 50 mil residentes em Albufeira, 10 mil são estrangeiros provenientes de 77 países, com prevalência nos três primeiros lugares para as comunidades brasileira, ucraniana e inglesa.

Procurando dar resposta a esta realidade que é exponencialmente ampliada no Verão, a paróquia tem implementado um serviço de acolhimento para os estrangeiros e turistas através de dois jovens que os acolhem à chegada à igreja e, no caso dos estrangeiros, lhes entregam uma folha com o texto da liturgia eucarística em inglês. Para além disso, a saudação nas Eucaristias, muito participadas pelos turistas e estrangeiros residentes na zona, é feita também em inglês, assim como o Evangelho, oração dos fiéis e oração final.

Os horários das celebrações também são ajustados no Verão para dar resposta à grande procura. “Há sete Eucaristias, duas ao sábado (18h e 22h) e cinco ao domingo. Para isso tenho a colaboração de sacerdotes de todo o país que vêm passar férias em Albufeira e colaboram durante o período de verão”, explica o cónego José Rosa Simão, pároco de Albufeira. Aos sacerdotes que colaboram neste serviço durante as suas próprias férias, a paróquia retribui com o alojamento e as refeições. Para isso, para além do Centro Paroquial, tem uma casa alugada durante todo o ano para o efeito e mantém uma colaboração com duas unidades hoteleiras da zona que também se disponibilizam para acolher os sacerdotes.

O cónego Rosa Simão explica que durante o Verão há “gente de todo o país”, “famílias inteiras que são um exemplo e um sinal de esperança”, que vêm à missa a Albufeira durante as férias. Neste contexto, o sacerdote adverte que “Albufeira não é só praia e boites, também tem gente bastante crente”.

Ainda nesta tentativa de ajustar a sua resposta às necessidades dos que procuram a paróquia durante o Verão, é também celebrada uma missa campal na Quinta da Balaia que, segundo o pároco, chega a ultrapassar os mil participantes. “Participam nessa Eucaristia figuras das mais altas do país, entre as quais o Presidente da República e a sua família”, destaca o prior.

Outra das condicionantes para a paróquia de Albufeira provém do facto de muitos dos seus paroquianos em idade activa trabalharem no sector do turismo e terem horários de trabalho pouco convencionais. Neste sentido, a comunidade procura também adaptar os encontros, reuniões e formações aos horários dos trabalhadores.

Samuel Mendonça

Pub