Pub

O primeiro, e aquele que é prioritário, contempla a ampliação de estruturas ligadas à igreja de São Pedro do Mar. A comunidade paroquial quer construir, junto à igreja, um auditório para 70 pessoas, quatro salas, duas delas para passantes, cozinha, e a torre da igreja com três pisos, onde está prevista a construção de uma sala de 16m2 em cada um deles, para o agrupamento 1052 do CNE – Corpo Nacional de Escutas.

O terreno, com quase 8000m2, foi doado pela Câmara de Loulé e a paróquia estima que o custo da construção deva rondar um milhão de euros, sendo que a comunidade adiantou à FOLHA DO DOMINGO dispor já de uma parte substancial dessa verba. A paróquia espera ainda que a obra tenha início no decurso do próximo ano de 2011.

Para além deste projecto, a paróquia anunciou ainda no passado domingo, dia 7 de Novembro, no contexto da celebração dos 25 anos do Lar da Sagrada Família, a ampliação daquela valência do Centro Paroquial de Quarteira.

O padre Elísio Dias, pároco de Quarteira, informou que o terreno anexo ao lar (na foto) é, desde há cerca de três meses, propriedade da paróquia. Aquele espaço destina-se à construção de apartamentos em banda para 40 utentes com 35m2 cada, constituídos por uma pequena sala, quarto com casa de banho e varanda. O terreno foi cedido há 25 anos pela Lusotur (empresa que promove a construção imobiliária em Vilamoura) para a construção de casas de pescadores, mas acabaria por ser foi arrestado e anos mais tarde entregue à Segurança Social que agora acabou por entregá-lo à instituição paroquial para incremento do trabalho que já realiza em prol da comunidade.

Apesar de reconhecer a urgência da obra que “faz falta a muita gente”, o padre Elísio Dias adianta que a mesma, cujo valor global deverá atingir um milhão de euros, não pode já avançar porque a paróquia não tem dinheiro para a realizar. O sacerdote destacou ainda à FOLHA DO DOMINGO que aquele novo modelo de lar para a terceira idade favorecerá a autonomia dos seus utentes.

O terceiro projecto da comunidade paroquial de Quarteira respeita à construção de uma nova igreja para Vilamoura. O pároco constata que a actual igreja “já está muito longe de qualquer pessoa que tenha deslocar-se a pé” e garante que Vilamoura precisa de um templo maior e mais central para responder às actuais necessidades daquela comunidade da paróquia de Quarteira.

O terreno para a construção da nova igreja está reservado junto de antigo depósito da água e foi igualmente disponibilizado pela Lusotur para o efeito, embora ainda não seja propriedade da paróquia. O padre Elísio Dias explica que, ao abrigo de um plano antigo realizado para o desenvolvimento de Vilamoura, a Lusotur com a Câmara de Loulé e outras entidades estabeleceram a criação de infra-estruturas para a comunidade e visitantes de Vilamoura. Ao abrigo desse projecto foi decidida a construção de três igrejas: a actual, outra na zona da chamada Old Village (uma pequena capela para 50 pessoas), e uma terceira perto do antigo depósito da água. Segundo o pároco, o plano previa igualmente um financiamento, na altura de 80 mil contos, para a construção da igreja.

O ante-projecto, que segundo a paróquia já existe, é composto, para além da igreja, por um salão paroquial, salas de catequese, sala mortuária, salas de reuniões e uma casa paroquial com 4 ou 5 quartos. De acordo com o pároco, a obra deverá orçar em menos de um milhão de euros.

Samuel Mendonça

Pub