Breves
Inicio | Igreja | Paróquias da Conceição de Tavira e de Quelfes também já têm novos párocos

Paróquias da Conceição de Tavira e de Quelfes também já têm novos párocos

As paróquias da Conceição de Tavira e de Quelfes também já têm novos párocos, empossados no passado domingo.

Foto © Samuel Mendonça

No domingo, o bispo do Algarve presidiu à eucaristia de tomada de posse do padre Fernando Rafael Rocha, de 38 anos, na paróquia da Conceição de Tavira e o vigário geral da diocese algarvia à eucaristia de tomada de posse do padre Armando Amâncio, de 45 anos, na paróquia de Quelfes.

Foto © Samuel Mendonça

Na igreja paroquial da Conceição de Tavira, D. Manuel Quintas começou por explicar que o padre Rafael Rocha passa a pároco daquela paróquia, trocando de funções com o padre Miguel Neto, que agora assumiu o cargo de vigário paroquial, para o qual também fora nomeado no passado mês de julho. “Achámos bem que o senhor padre Rafael fosse responsabilizado como pároco desta paróquia da Conceição de Tavira, continuando com o mesmo serviço em relação às outras paróquias”, afirmou o prelado, lembrando que o novo pároco também continua a ser vigário paroquial das paróquias de Santa Maria e São Tiago e da capelania de Santa Luzia de Tavira. “O padre Miguel continua também ligado a esta paróquia, mas como vigário paroquial. São os dois que têm a responsabilidade destas paróquias”, completou.

Foto © Samuel Mendonça

O bispo do Algarve voltou a clarificar a expressão tomada de posse. “Gostava de vos dizer que ele não vai tomar posse de nada, não vai ser dono de nada, não vai ser proprietário de nada. Um bispo ou um padre, quando tomam posse da diocese ou de uma paróquia, não ficam donos. Os paroquianos é que ficam, de certa maneira, donos deles”, explicou, lembrando que os ministros ordenados “consagram a sua vida a Deus, servindo aqueles que lhes são confiados”.

Foto © Samuel Mendonça

D. Manuel Quintas voltou também a pedir a oração pelas vocações. “Sei que rezam pelas vocações, mas gostaria de vos pedir que não desistísseis nem desanimásseis. Temos que rezar pelas vocações na Igreja toda e também na nossa Igreja diocesana”, apelou na eucaristia em que administrou também o sacramento do Crisma a oito jovens.

Foto © Samuel Mendonça

Depois da celebração, o padre Rafael Rocha foi ao cemitério fazer uma oração por todos os paroquianos falecidos.

Foto © Samuel Mendonça

Na igreja paroquial de Quelfes, o cónego Carlos César Chantre destacou que “a Diocese do Algarve precisava muito” do serviço do padre Rui Guerreiro, pároco cessante, na cidade de Faro. “Agradecemos muito ao padre Rui essa disponibilidade de ter ainda maiores preocupações a partir de agora”, afirmou.

Foto © Samuel Mendonça

Sobre o novo pároco de Quelfes, o sacerdote evidenciou, para além da sua naturalidade (lembrando ser “filho de Olhão”), que se trata de um regresso. “Já foi vigário paroquial de Quelfes e Olhão”, recordou, acrescentando que o padre Armando Amâncio também já foi pároco em Alte, Ameixial, Querença e Lagos, sendo atualmente o pároco de Olhão. “Desejamos ao padre Armando Filhó as maiores felicidades e que os paroquianos de Quelfes o recebam com carinho. Temos a certeza que ele vai dar tudo o que pode e sabe no exercício das suas funções”, prosseguiu o cónego César Chantre.

Foto © Samuel Mendonça

O vigário geral da diocese algarvia lembrou que “educar é a missão da Igreja” e disse que essa é também a missão do padre Armando Amâncio.

Foto © Samuel Mendonça

O novo prior de Quelfes dirigiu no final uma palavra aos paroquianos. “Estou de regresso a esta casa 17 anos depois e espero que aqueles que desempenhamos ministérios nesta comunidade cristã de São Sebastião de Quelfes – pároco, cantores, leitores, catequistas, ministros extraordinários da comunhão, vicentinos, escuteiros e todos os de outros movimentos que fazem parte da vida paroquial – trabalhemos apenas para um único objetivo: não para o meu bem pessoal, mas para o de toda a Igreja”, desejou.

Foto © Samuel Mendonça

No final da celebração, uma representante dos paroquianos agradeceu ao padre Rui Guerreiro pelo serviço à comunidade e deu as boas-vindas ao padre Armando Amâncio.

Nas eucaristias de tomada de posse dos novos párocos foi feita a leitura dos decretos de nomeação, a profissão de fé dos novos priores com o juramento de fidelidade ao colégio presbiteral, ao bispo, ao papa e a toda a Igreja, a entrega simbólica das chaves das igrejas e a leitura e assinatura dos autos de posse (atas) e a renovação das promessas sacerdotais.

No dia 24 deste mês toma ainda posse o padre Eduardo Colocho como pároco das paróquias de São Bartolomeu de Messines e de São Marcos da Serra em eucaristia presidida pelo bispo do Algarve, às 10h15, na igreja matriz de São Bartolomeu de Messines.

Verifique também

Núcleo de Faro da LIAM celebrou 75 anos de trabalho missionário

O núcleo de Faro da Liga Intensificadora da Ação Missionária (LIAM) celebrou no passado domingo …