Pub

Jorge Botelho afirma que o parque vai trazer “investimento de empresas, podendo evoluir para um parque tecnológico e significar largas centenas de postos e trabalho”, adiantando que já foram vendidos, desde novembro, 24 dos cerca de 130 lotes.

O administrador do Área Empresarial de Tavira, Fernando Horta, explicou à Lusa que se trata de “um dos maiores investimentos do concelho nos últimos anos, com aproximadamente um valor global de 13 milhões de euros, assumindo claramente um papel fundamental de alavanca de desenvolvimento do sotavento algarvio e uma entrada e saída na relação com Espanha”.

O administrador acrescentou que “o objetivo é organizar as pequenas actividades que se encontram dentro do casco urbano de Tavira e captar investimento de empresas que criem postos de trabalho e riqueza, tanto para o município como para a própria região” do Algarve.

Fernando Horta adiantou que já está garantida “uma ocupação superior aos 30 por cento”, numa “área de implantação de 10 hectares” com “137 lotes destinados para comércio, serviços, indústria e armazenagem”.

O administrador precisou que os lotes já comprados vão servir para instalação de “empresas das áreas da construção civil e obras públicas, agroalimentares e agroindústria e logística e distribuição”.

O projeto prevê ainda, segundo a mesma fonte, a “possibilidade de construção de um ecocentro para resíduos industriais recicláveis”, assim como de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais, para permitir a instalação de indústrias mais poluentes.

Questionado sobre quando está prevista a instalação efetiva das primeiras empresas, o administrador respondeu que “a todo o momento”.

“O objetivo da Câmara é, assim que chegue o primeiro projeto, desenvolver todas as diligências necessárias para a mais rápida ocupação do espaço e início da actividade”, acrescentou, lembrando que, “por já estar aprovado o decreto de impacte ambiental, todos os requisitos e burocracias exigidas neste âmbito ficam aligeiradas”.

A mesma fonte frisou que falta agora conseguir atrair investimento para os restantes lotes, tarefa que com a conjuntura de crise “não vai ser fácil”, mas explicou que está a ser feito um trabalho de divulgação e captação “com resultados felizes” e espera que “a curto prazo se consiga ocupar os restantes 70 por cento”.

O Parque Industrial de Tavira fica situado na zona de Santa Margarida, entre a autoestrada A22 e a Estrada Nacional (EN) 125, a cerca de 30 quilómetros de Espanha.

Folha do Domingo/Lusa
Pub