Pub

No livro de poemas, intitulado ‘Raízes’, a terceira obra literária editada pelo autor, o sacerdote e poeta dá-nos conta da força e imperativo da palavra. A importância da palavra como revelação mas também com a força significante e redentora.

Muitos dos 76 poemas, distribuídos por quatro capítulos, surgem na obra como autêntica oração. O ser humano tem também um espaço de privilégio na poesia do padre Carlos de Aquino e a liberdade, moral ou política, é igualmente um tema presente. Algumas das poesias são dedicadas a familiares e amigos ou criados no contexto de homenagens a outros membros do clero.

O prefácio da publicação, de Maria Solange Estevens, considera que “este é de facto o poeta entre os homens, atento a todas as dimensões da vida, à sua essência mais profunda, ao ensejo que o homem tem do divino, à sua exaustiva procura”.

O último capítulo reúne as poesias concebidas para serem musicadas, sendo que muitas delas foram apresentadas a concurso em Festivais da Canção promovidos pelos Secretariados da Pastoral Juvenil das dioceses do Algarve e de Évora.

O novo livro, de 125 páginas que estará à venda por 10 euros nos Serviços Diocesanos de Pastoral (Largo da Sé, 19, em Faro) e nas duas paróquias de Cachopo e Silves, terá duas sessões de lançamento neste mês de fevereiro: a primeira realizada no Centro Paroquial de Cachopo, já no dia 19, pelas 16h, e a segunda, na Sé de Silves, no dia 27, pelas 19h.

Samuel Mendonça

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Pub