Pub

A efeméride foi assinalada numa eucaristia presidida pelo aniversariante ao final da tarde na igreja de Vila Real de Santo António, paróquia da qual é pároco, juntamente com Azinhal e Odeleite.

A eucaristia foi concelebrada por outros cinco sacerdotes e participada por dois diáconos da Igreja algarvia, para além de paroquianos seus.

O sacerdote, de 54 anos, membro da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (dehonianos), começou por explicar que aquela eucaristia tinha a intenção de “dar graças a Deus”. “Hoje, mais do que nunca, a eucaristia é ação de graças e louvor porque o Senhor me chamou há 25 anos a abraçar este serviço para estar ao seu serviço e dos irmãos”, afirmou, agradecendo a presença de todos. “Obrigado pela vossa presença por me ajudares a louvar este Deus, que, por amor, confiou em mim”, afirmou.

O padre Feliz Pires assegurou que o seu sentimento era sobretudo de “gratidão”, a Deus que lhe “confiou” a “missão” do sacerdócio e “acreditou” em si e a “tantas pessoas” que o acompanharam ao longo dos últimos 25 anos e mesmo antes, quando ainda estudante.

O sacerdote disse ainda ter “refletido muito”, ao longo deste tempo, nas “expressões da vocação” dos profetas Jeremias e Isaías. “É com base nestes testemunhos que eu realizei e vivi estes 25 anos, na certeza de que é o Senhor que chama e que confia, apesar da minha fragilidade, que é o Senhor que capacita e que prepara o sacerdote, a cada momento, para presidir aos sacramentos – sobretudo à eucaristia –, e para anunciar a sua palavra”, sustentou, agradecendo também aos paroquianos pelos 10 anos de presença naquelas paróquias do sotavento algarvio.

Recorde-se que o padre Feliz Pires está no Algarve desde setembro de 2003, altura em que, vindo das paróquias de São João e São Pedro na Ribeira Brava, na Madeira, tomou posse das três paróquias algarvias de que é pároco.

Samuel Mendonça

Pub