Pub

Neste âmbito, o sacerdote desenvolveu um serviço de acolhimento aos turistas que participam nas celebrações eucarísticas dominicais algarvias que passa pela elaboração de um suplemento litúrgico com tradução para inglês. Este subsídio é distribuído nas paróquias de Albufeira, Almancil, Armação de Pera, Castro Marim, Lagoa, Lagos, Matriz e Nossa Senhora do Amparo de Portimão, Sé de Faro, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António.

Para além disso, o padre Leitão Marques envia, em outubro, no início de cada ano pastoral, os horários paroquiais das Eucaristias para hotéis e postos de turismo. “É preciso saber acolher, prestar assistência e ter as igrejas abertas com horários afixados, disponibilizados também nos hotéis”, observa, lamentando que nem sempre a informação chegue ao turista. Procurando precisamente que o turista tenha acesso à informação, o sacerdote explica ainda que é publicada pelo jornal Algarve Resident a lista de locais onde é celebrada missa em inglês.

O sacerdote, que conhece pessoas que passam férias em Alvor há 25 anos, considera ainda que “hoje, no trabalho com o turista, pouco se pode fazer” porque “o turismo aumentou muito mas a permanência é pouca”. “A comunidade cristã do Algarve deve ser, essencialmente, de acolhimento porque a Pastoral do Turismo deve começar nas paróquias de origem”, defende, interpelando: “que trabalho se pode fazer com pessoas que passam aqui um ou dois fins de semana?”.

Samuel Mendonça
Pub