Pub

Em entrevista à Lusa, o responsável pelo Comando da Autoridade Marítima do Sul, Marques Ferreira, explicou que apesar de a época balnear nas praias da capital algarvia – Faro, Deserta, Farol e Culatra – só se iniciar a 15 de junho, o projeto especial “Samsung” começa hoje com o “patrulhamento do areal da Praia de Faro”.

“Vamos passar a patrulhar a Ilha de Faro com uma moto quatro e fuzileiros habilitados com o curso de nadadores-salvadores”, explicou aquele responsável.

Um outro projeto especial denominado “SeaMasters” prevê também um reforço do projeto “Samsung”, com carrinhas todo-o-terreno e moto 4×4 de salvamento, para as capitanias de Lagos, Portimão e Vila Real de Santo António.

Em setembro de 2010, o comandante Marques Ferreira já havia anunciado que em 2011 ia implementar no terreno um plano integral de segurança com os objetivos de aumentar a segurança com a ajuda de motas de água, moto 4×4 e equipamentos de comunicações e diminuir o número de nadadores salvadores.

O plano integral de segurança será também colocado no terreno a partir de 15 de junho, acrescentou Marques Ferreira.

A época balnear deste ano em Faro termina a 15 de setembro, ou seja, há um encurtamento de um mês da vigilância nos areais em relação ao período normal da época balnear, que geralmente vai de 01 de junho a 30 de setembro.

O presidente da Câmara de Faro, Macário Correia (PSD), explica que ninguém vai estar "impedido de se banhar na praia" mas, na sua opinião, na última quinzena de setembro e na primeira de junho não "se justifica segurança na praia", porque as crianças ainda estão em período escolar.

No período oficial da época balnear de 2010, o Algarve registou seis mortes, com quatro vítimas de quedas em falésias e duas em praias não vigiadas, mas ninguém morreu nas praias algarvias vigiadas.

Em 2009, o Algarve também havia registado duas mortes em praias não vigiadas e nenhuma vítima mortal nas praias vigiadas.

Este ano já morreram três pessoas em praias algarvias. Uma das vítimas foi de um cidadão alemão, de 78 anos, que foi acometido de doença súbita dentro de água quando tomava banho numa zona não vigiada da Meia Praia, em Lagos.

A segunda morte foi de um holandês, que se afastou para fora da rebentação e foi encontrado a boiar por surfistas, na praia de Vale de Figueiras, em Aljezur.

O terceiro caso referiu-se a um turista inglês de 59 anos que morreu na quarta-feira na praia de Armação de Pêra (Silves), quando tomava banho no mar. A morte deveu-se a doença súbita.

Lusa

Pub