Pub

O grupo que organiza o projeto "Windincap" partiu no final de abril da costa oeste de França e incluiu Portugal na sua rota, tendo estado na Nazaré e preparando-se agora para atracar em Vilamoura na segunda feira.

O objetivo é proporcionar uma "experiência única" a pessoas com deficiência, que poderão observar as rotinas a bordo e participar mesmo em algumas delas, disse à agência Lusa Daniel Henriques, de uma das instituições envolvidas.

O catamarã, que estará atracado na Marina de Vilamoura durante quase uma semana, vai receber grupos de oito instituições algarvias de solidariedade social que farão rotativamente uma pequena viagem ao longo da costa algarvia.

"O barco está totalmente adaptado a pessoas com deficiência, tendo dois lugares para pessoas em cadeiras de rodas", explicou Daniel Henriques, do núcleo de Faro da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral (APPC).

Além desta, sete outras instituições algarvias participarão no projeto de âmbito europeu: NECI, CRACEP, ASMAL, ACAPO, Existir, Fundação Irene Rolo (FIR) e Centro de Assistência Social Lucinda Anino dos Santos (CASLAS).

O intercâmbio vai repetir-se nos restantes quatros países onde o grupo fará escala: Espanha, França, Itália e Croácia, sendo que os tripulantes desempenharão o papel de "embaixadores" da igualdade de oportunidades.

No total, serão mais de 800 pessoas com deficiência a quem será dada a oportunidade de navegar, ao longo das cerca de vinte escalas que o grupo fará em mais de quatro meses de navegação.

Em terra, a tripulação promete, em conjunto com os parceiros regionais de cada local onde farão escala, realizar diversas iniciativas, entre conferências e ações de animação.

O "Windincap" é um projeto dinamizado pela associação Ilehandi que visa impulsionar o intercâmbio entre pessoas com e sem deficiência na União Europeia, promovendo também a igualdade de oportunidades.

Lusa

Pub