Pub

A PJ precisou, em comunicado, que a operação foi realizada pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes (UNCTE) e permitiu “detetar, de forma inopinada, um entreposto de haxixe situado na região do barrocal algarvio, próximo de Loulé, no decurso de investigação focada noutro tipo de delitos inseridos no conceito de criminalidade altamente organizada”.

O texto referiu ainda que a operação levou, na sexta-feira, à “apreensão de cerca de 450 quilogramas de haxixe, quatro veículos automóveis, um deles com matrícula espanhola, 101.870 euros e outros artigos relacionados com a prática criminosa”.

O detido tem 62 anos e foi apanhado em flagrante delito, acrescentou a PJ, frisando que o homem é comerciante e proprietário de duas moradias onde foi apreendida a droga, cuja quantidade poderia ser dividida em mais de 900 mil doses individuais.

"O detido foi presente à autoridade judiciária competente, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal, e submetido a primeiro interrogatório judicial, no Tribunal Central de Instrução Criminal, sendo-lhe aplicada medida de coação de prisão preventiva", indicou ainda a PJ.

Esta é a quarta apreensão de vulto deste tipo de droga realizada este ano pelas forças de segurança e policiais do Algarve.

Em janeiro, a Polícia Marítima recuperou 330 quilogramas de pólen de haxixe, divididos em 10 fardos, na praia da ilha da Armona, em Olhão, e a PJ apreendeu uma tonelada de haxixe em Lagos, dissimulada numa embarcação que tinha feito a recolha da droga no mar.

Igualmente em janeiro, o Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aljezur da GNR apreendeu duas toneladas de haxixe em Vila do Bispo, numa embarcação que se dirigia para uma praia em plena luz do dia.

Liliana Lourencinho com Lusa

Pub