Pub

A 1.ª parte do trabalho foi apresentada em junho no decorrer de uma reunião da comissão de acompanhamento do PO Algarve 21, com parte integrante da monitorização em curso do Programa, que decorre sensivelmente a meio da execução do QREN. Já a 2.ª parte do estudo abrange a análise da competitividade do Algarve face a outras regiões da bacia do Mediterrâneo que abarca as 14 regiões da costa de Espanha, incluindo as Ilhas Balneares.

Segundo uma nota de imprensa enviada para os meios de comunicação social, os primeiros resultados demonstram que a performance do PO Algarve 21 em termos turísticos possui, até à data de dezembro de 2011, um grau de ajustamento à estratégia de desenvolvimento definida para região no horizonte temporal em análise de 60,8 pontos (num máximo de 100). Segundo o Programa, para este resultado “contribuem os desempenhos relativos dos investimentos directos ou indirectos em turismo em domínios como o emprego (criação de postos de trabalho), a produtividade do trabalho (relação postos de trabalho criados e volume de negócios), as exportações (internacionalização do volume de negócios) e a gestão (capacidade de executar o investimento aprovado).”

Segundo o professor e coordenador do estudo, desenvolvido pelo Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da UAlg, Fernando Perna, “para o aumento da eficiência do PO Algarve 21 e adequação deste à Estratégia Regional, o foco deverá estar concentrado nas áreas de forte potencial de base de competitividade e diversificação turística da região”.

Com cerca de 275 projectos apoiados pelo PO Algarve 21 até do final de 2011, dos quais 39,6% têm relação directa ou indirecta com o sector do turismo, a equipa de docentes e investigadores avaliou a eficiência destes investimentos que totalizam 32,8 milhões de euros no contributo para a concretização dos objectivos definidos para o sector na Estratégia de Desenvolvimento Regional do Algarve 2007-13.

Pub