Pub

EPA/Metropolitan Police
EPA/Metropolitan Police

A polícia britânica revelou na segunda-feira, na transmissão de um programa na BBC, que acredita ter encontrado o homem que tinha sido identificado como o possível raptor de Madeleine McCann no Algarve e procura agora outro suspeito.

Jane Tanner, uma amiga da família McCann, tinha descrito um homem de cabelo liso escuro, casaco castanho e calças bege e a transportar nos braços uma criança de pijama, na sequência de um avistamento pelas 21:15 horas da noite do desaparecimento, a 03 de maio de 2007.

O retrato-robô, desenhado por um perito, foi publicado em outubro de 2007 na imprensa britânica a pedido dos pais e, segundo o porta-voz da família na altura, com a “aprovação tácita” da polícia portuguesa.

Porém, num programa transmitido na segunda-feira na BBC, o detetive inspetor-chefe Andy Redwood, que chefia a equipa da Scotland Yard que está a rever o caso, afirmou que foi encontrado um homem cuja semelhança com a descrição é notória, como se pode comprovar com uma fotografia tirada com as roupas que usava naquela noite.

A explicação que o indivíduo deu, explicou Redwood, é que tinha ido buscar a própria criança ao infantário do complexo turístico Ocean Club, na Praia da Luz, concelho de Lagos, onde a tinha deixado até mais tarde.

Esta circunstância fez com que a ênfase da sequência de eventos tenha deixado de estar naquele avistamento, mas noutro, mais tarde, perto das 22:00 horas, de outro homem que transportava também uma criança.

O homem, do qual dois retratos robô foram na segunda-feira tornados públicos, foi descrito como sendo branco, cabelo curto castanho e estatura média, idade entre os 20 e os 40 anos e cara sem barba.

Os retratos foram feitos por peritos em 2008 a partir de testemunhos de uma família irlandesa e estavam na posse de detetives privados, cujos arquivos estão a ser analisados pela equipa da Scotland Yard responsável pela revisão do caso.

“O avistamento é o de um homem branco, com cabelo escuro, que tinha nos seus braços uma criança com entre três e quatro anos, de cabelo loiro, possivelmente usando pijama, muito perto do apartamento. O homem estava a caminhar em direção ao mar”, descreveu Redwood, em declarações à agência Lusa.

“Nesta altura, este avistamento não está clarificado. Os dois retratos robô nunca tinham sido mostrados em público e é muito importante que o público os veja”, justificou.

Para o inspetor, este facto tem importância porque representa “uma revisão da cronologia em termos de ênfase” e um redirecionamento das investigações feitas até agora.

A informação foi revelada no âmbito de um apelo ao público para darem informações relevantes, tendo sido oferecida uma recompensa de 20 mil libras (24 mil euros) a quem dê informação que leve à detenção e acusação da pessoa responsável pelo desaparecimento de Madeleine McCann.

Esta informação foi divulgada no programa da estação pública britânica, chamado Crimewatch e dedicado à emissão de apelos públicos para obter informação relativa a crimes.

A investigação britânica intitulada “Operação Grange” visa rever o caso com base no material recolhido pelas polícias portuguesa e britânica e vários detetives privados, tendo sido identificadas 41 pessoas de “interesse”, incluindo vários portugueses e 15 britânicos.

Pub