Pub

A operação, que decorreu em todos os portos do Algarve e águas interiores marítimas, teve como objetivo combater casos de interferências ao nível das comunicações em ambiente marítimo, designadamente resolver “problemas relacionados com interferências eletromagnéticas”, lê-se num comunicado enviado hoje á comunicação social

As interferências tinham origem em equipamentos instalados a bordo de embarcações e em terra, que afetavam não só “os canais privativos do Sistema de Comunicações da Autoridade Marítima, como também inúmeras frequências do Serviço Móvel Marítimo, Serviço Móvel Aeronáutico, Serviço Móvel Terrestre e Serviço Amador de Radiocomunicações”, explica a mesma fonte policial

A operação de fiscalização foi realizada em 20 embarcações marítimo-turísticas, sete embarcações de pesca e uma embarcação de tráfego local

A Polícia Marítima e a Anacom desenvolveram diligências em 29 estações terrestres, móveis e fixas, tendo sido fiscalizados um total de 57 equipamentos de comunicação rádio

Da ação, resultou a apreensão de 14 equipamentos de comunicações rádio, devido a infrações detetadas, na sua maioria pela “falta de certificação e a utilização indevida de frequências não autorizadas”

Foram ainda elaborados dez autos de notícia

Pub