Pub

Inserida na colecção Tese Gregoriana, que coloca à disposição do público algumas das melhores teses elaboradas naquela academia, a publicação traz então a lume a tese, orientada pelo professor Javier López, defendida publicamente pelo presbítero algarvio no dia 3 de Junho do ano passado, tendo recebido a valoração máxima de Summa Cum Laude.

No prefácio, assinado pelo Bispo Emérito do Algarve, D. Manuel Madureira Dias considera a obra, que classifica como um “escrito teologicamente sólido”, “um escrito notável: pelo rigor científico e técnico da sua exegese, pela originalidade do principio exegético adoptado pelo autor, e pela autonomia interpretativa de quem o escreve; um escrito rico: pela densidade do pensamento que encerra, pelo percurso feito através de Evangelho inteiro como contextualização da passagem estudada, pelas bases sólidas e bem fundamentadas para uma Cristologia joanina”.

Recorde-se que na sua tese de doutoramento o padre Mário de Sousa, partindo de uma análise sincrónica e semântica, revela o versículo 35 como centro da perícope e a morte de Jesus como dado fundamental e demonstra que a centralidade dos factos não está no «sangue e água», mas no corpo «inquebrado», primeira consequência da morte de Jesus – o corpo é trespassado porque se mantém «inquebrado». A contemplação do quadro remete o leitor para a forma como o QE (Quarto Evangelho) o preparou para entender a morte de Jesus e as suas consequências. Socorrendo-se da diacronia (tradição utilizada) e da teoria dos «espaços mentais» de G. Fauconnier, o autor faz emergir a maneira como o QE funde passagens, imagens e metáforas veterotestamentárias – dando-lhes um conteúdo novo através de uma cristologia que redimensiona a Escritura – para apresentar a morte de Jesus e as suas consequências como sinfonia apoteótica da história da salvação. Por fim, tendo em conta a situação vital, conclui que o convite de 19,35 é uma exortação à «inquebrantabilidade» da fé cristológica e, como fruto dela, à unidade eclesial (como forma de ter «vida no seu nome»: 20,31), de acordo com o «testemunho verdadeiro» de «aquele que viu».

Composta por 404 páginas, a publicação pode ser adquirida nos Serviços Diocesanos de Pastoral, no largo da Sé, em Faro, pelo valor de 28 euros.

Samuel Mendonça

Pub