Pub

Segundo aquele responsável, a primeira placa que indicava a aproximação de portagens eletrónicas na Ponte Internacional do Guadiana, na fronteira com Espanha, foi substituída, no final de abril, por outra com a inscrição “Bem-vindo ao Algarve”.

"O que nos interessa é ter um pórtico na entrada de uma região turística que diga ‘bem-vindos a esta região’ e não que seja um pórtico direcionado só para a parte negativa", afirmou Desidério Silva.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA) falava à agência Lusa à margem da conferência de imprensa de apresentação do Memorando Turístico do Algarve, que hoje decorreu na sede daquele organismo, em Faro.

Segundo Desidério Silva, existe mais à frente, na entrada em Portugal, um sinal de aproximação de portagens eletrónicas, pelo que a ERTA considerou que não era necessário que essa fosse a primeira informação visível.

"Queremos dar uma imagem positiva", resumiu aquele responsável, que há cerca de um mês defendeu a isenção do pagamento de portagens na Via do Infante (A22) durante os períodos de maior movimento turístico.

Desidério Silva defendeu a medida após o fim de semana prolongado de Páscoa, quando dezenas de veículos, na sua maioria espanhóis, se acumularam na fronteira luso-espanhola, junto aos sistemas de compra de títulos para circular na ex-Scut (Sem Custos para o Utilizador), cenário semelhante ao do ano passado.

Questionado sobre a posição do Governo relativamente à suspensão das portagens em períodos mais movimentados, defendida por si, o presidente da ERTA afirmou deduzir que estará em cima da mesa alguma revisão do sistema, embora em termos práticos não tenha recebido qualquer informação.

Segundo aquele responsável, há especificidades na região algarvia que façam com a mesma não seja comparável com outras regiões do país, uma vez que o Algarve é uma porta de entrada para o turismo.

"Não é comparável com outras entradas em Portugal e nós representamos 40% daquilo que é o turismo a nível nacional", afirmou, acrescentando que o processo da implementação das portagens não foi bem conduzido.

De acordo com Desidério Silva, as portagens estão a tornar-se num "fator psicológico" de desmotivação para a vinda de turistas espanhóis, um "travão" que tem afastado sobretudo os turistas que residem na Andaluzia.

Lusa

Pub