Breves
Inicio | Economia | Porto de pesca de Quarteira vai ter novo cais para embarcações de grande porte

Porto de pesca de Quarteira vai ter novo cais para embarcações de grande porte

O porto de pesca de Quarteira vai ter um novo cais para embarcações de grande porte que substitui um antigo cais, entretanto desativado por questões de segurança, foi ontem anunciado.

Em comunicado, a Docapesca, responsável pela obra, adianta que foi aberto um concurso para elaboração do projeto de execução, cujo preço base é de 60 mil euros, “tendo por objetivo o lançamento do concurso para a empreitada em 2020″.

O futuro cais será implantado no local onde existiu um cais flutuante destinado às embarcações de pesca do cerco e que foi retirado por questões de segurança, refere a empresa tutelada pelo Ministério do Mar.

O cais será dimensionado para a acostagem de embarcações de entre 20 e 25 metros, terá 90 metros de comprimento e oito de largura mínima e será implantado no canto nordeste da bacia portuária, confinando com o cais de descarga”, lê-se na nota.

O porto de pesca de Quarteira foi construído entre 1998 e 1999, situando-se a este da marina de Vilamoura e a oeste do campo de esporões de Quarteira.

Dispõe de um cais de descarga de pescado, adjacente ao edifício da lota (extremo sul), com 70 metros de zona acostável, e de cinco pontões flutuantes com capacidade para estacionamento de, aproximadamente, 205 embarcações.

Segundo a Docapesca, a importância socioeconómica do porto “é significativa a nível local e regional”, tendo, em 2018, sido registada em lota a venda de 2.660 toneladas de pescado (mais 22,2% face a 2017), no valor de 7,1 milhões de euros.

No próximo verão, a cidade de Quarteira vai ter também um novo posto marítimo e uma nova estação salva-vidas, infraestruturas que visam aumentar a segurança dos banhistas e responder ao aumento do tráfego marítimo.

Estas duas estruturas vão ficar instaladas no porto de pesca de Quarteira, num espaço cedido pela Docapesca, que gere os portos e lotas portugueses.

O antigo edifício dos faroleiros, situado no centro da cidade, vai ser reconvertido em cinco apartamentos para alojar a tripulação necessária àquelas infraestruturas.

Verifique também

Algarve é a terceira região do país com maior taxa de “privação material severa”

O Algarve é a terceira região do país, logo a seguir às regiões autónomas dos …