Pub

Posto_saude_praiaOs serviços de saúde no Algarve foram ontem reforçados com a entrada em funcionamento de postos de saúde em 32 praias da região, anunciou a Administração Regional de Saúde (ARS).

Em comunicado, a ARS/Algarve adianta que a maioria destes postos de saúde de praia vai funcionar até 30 de agosto, das 10:30 às 19:30, embora em sete praias, onde a afluência de banhistas costuma ser maior, o atendimento seja prolongado até 13 de setembro.

Traumatismos por quedas, escoriações, equimoses, picadas de peixe-aranha, golpes de calor, queimaduras solares e indisposições resultantes de abusos de exposição ao sol são algumas das principais ocorrências registadas todos os anos nos postos, que funcionam ao abrigo de um protocolo de colaboração com a Cruz Vermelha Portuguesa.

Nos postos de praia são assegurados cuidados de saúde de enfermagem e assistidas situações clínicas de menor gravidade que possam ser tratadas no local, mas, em caso de necessidade, o utente é encaminhado para uma unidade de saúde mais adequada.

Desde 2010, os recursos afetos aos postos de praia são potenciados através da comunicação por telefone entre os enfermeiros dos postos e o Centro de Orientação de Doentes Urgentes do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), permitindo uma integração com o dispositivo pré-hospitalar.

Posto_saude_praia_2015Segundo a ARS, a acessibilidade, as condições naturais e do meio ambiente e a análise de indicadores de risco (tipo de atendimentos efetuados, número de transferências para as unidades de saúde, tratamentos e suturas, picadas e mordeduras) são os critérios para a escolha da localização dos diversos postos de praia.

As sete praias onde o atendimento será prolongado até 13 de setembro são as da Rocha Baixinha Nascente (Albufeira), Quarteira (Loulé), ilhas do Farol (Faro) e de Tavira (Tavira), Praia da Rocha (POrtimão), Armação de Pêra (Silves) e Monte Gordo (Vila Real de Santo António).

No verão passado, de acordo com dados divulgados pela ARS/Algarve à agência Lusa, do total de atendimentos realizados nos 32 postos de praia, 5.743 foram para tratamentos e suturas, 1.861 para medições de pressão arterial, 936 devido a picadas de peixe-aranha e insetos, 295 para realizar testes de glicemia e 530 para administrar injeções.

Até 30 de setembro, estará também em vigor o Plano de Contingência para as Temperaturas Extremas Adversas, cuja finalidade é promover a proteção da saúde das populações contra os efeitos negativos dos períodos de calor extremo.

O plano é dotado de um sistema de previsão e alerta, que funciona de 15 de maio a 30 de setembro, podendo ser alargado em função das condições meteorológicas.

De acordo com a ARS/Algarve, este ano a avaliação do risco e a emissão de alertas serão realizados de uma forma “ainda mais rigorosa”, na medida em que é disponibilizada para a região informação meteorológica por área geográfica dos serviços de saúde.

Pub