Pub

Diabetes_colesterolOs 32 postos de saúde instalados nas praias do Algarve contabilizaram, durante o verão, um total de 9.557 atendimentos, na sua maioria situações clínicas de menor gravidade, indicou à agência Lusa a Administração Regional de Saúde (ARS).

Os postos de praia instalados ao longo da costa algarvia funcionaram durante os meses de julho e agosto e na primeira quinzena de setembro, ao abrigo do Plano de Verão 2014, que prevê que os casos considerados mais graves sejam encaminhados para outras unidades de saúde.

De acordo com os dados divulgados pela ARS/Algarve à agência Lusa, do total de atendimentos, 5.743 foram para tratamentos e suturas, 1.861 para medições de pressão arterial, 936 devido a picadas de peixe-aranha e insetos, 295 para realizar testes de glicemia e 530 para administrar injeções, tendo sido encaminhadas 192 pessoas para outras unidades de saúde.

Dos utentes atendidos nos postos de saúde de praia, 73,3% não são residentes no Algarve (60,3 % são residentes noutras regiões do país e 13% são estrangeiros).

Os postos com maior número de atendimentos registados durante este período foram os de Armação de Pêra (782), no concelho de Silves, Manta Rota (647) e Monte Gordo (643), em Vila Real de Santo António, e Quarteira (642), em Loulé.

Os recursos afetos aos postos de saúde de praia são potenciados através da comunicação por telefone entre os enfermeiros dos postos e o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM, permitindo uma integração com o dispositivo pré-hospitalar.

Traumatismos por quedas, escoriações, equimoses, picadas de peixe-aranha, golpes de calor, queimaduras solares e indisposições resultantes de abusos de exposição ao sol, são algumas das principais ocorrências registadas todos os anos nos postos.

Pub