Pub

Tolentino_mendoncaO escritor José Tolentino Mendonça, com o livro “Que coisas são as nuvens”, venceu a primeira edição do Grande Prémio de Literatura Associação Portuguesa de Escritores/Câmara Municipal de Loulé – Crónica e Dispersos Literários.

Segundo um comunicado da Câmara de Loulé, o júri constituído por Casimiro de Brito, José Ribeiro Ferreira e José Cândido Oliveira Martins decidiu atribuir a distinção por unanimidade. “As qualidades múltiplas da obra: a notável abrangência temática e ideológica; a oportunidade e intemporalidade de uma reflexão sobre a cultura contemporânea” foram, explica o documento, as principais razões que levaram os elementos do júri conceder este reconhecimento ao sacerdote e poeta, que é também atualmente vice-reitor e professor da Universidade Católica Portuguesa.

“Que coisas são as nuvens” é um livro que reúne as “melhores” crónicas publicadas na coluna que assina semanalmente no Jornal Expresso, refere ainda o comunicado da autarquia.

O autor conta com várias obras publicadas, sobretudo nas áreas da Poesia e Ensaio. Recebeu diversas distinções, com destaque para o Prémio Literário Res Magnae 2015, um prémio italiano atribuído no campo da ensaística. José Tolentino Mendonça foi o primeiro português e o único não italiano, até à data, a receber este prémio. No mesmo ano foi condecorado pelo Presidente da República com o grau de comendador da Ordem de Santiago da Espada.

Refira-se que nesta primeira edição da Grande Prémio de Literatura – Crónica e Dispersos Literários instituído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, concorreram, a título excecional, obras saídas nos anos de 2014 e 2015.

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar a 5 de maio, Dia do Município, pelas 12h, no salão nobre dos Paços do Concelho de Loulé.

Pub