Pub

Rogerio_bacalhauO presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, disse, em entrevista à Lusa, que o concelho tem falta de camas para ocupação turística e precisa de mais espaços hoteleiros.

“Nós temos na cidade um problema de hotelaria, um problema de falta de camas, não temos um hotel de referência, os hotéis que temos são poucos, são antigos, fazem o seu trabalho e dão a resposta para a qual são adequados, mas […] não conseguimos ter grupos grandes a vir para a cidade”, afirmou Rogério Bacalhau.

Nesta sequência, o presidente da Câmara Municipal de Faro referiu que a cidade precisa “de mais hotelaria”.

Em dezembro do ano passado, a Câmara Municipal revelou que o número de alojamentos em Faro triplicou em cinco anos, passando de uma dúzia de hotéis e residenciais antes de 2008 para 43 novos aposentos locais em 2013.

Já nessa altura, Rogério Bacalhau declarava a importância de Faro poder contar com um ou dois hotéis de cinco estrelas, com capacidade para receber congressos, algo inexistente neste momento.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) para 2012, o mais recente período disponibilizado, a capital do Algarve contava com 20 estabelecimentos, 11 dos quais hotéis, enquanto, por comparação, Albufeira tinha 145 e Loulé 65.

No que diz respeito ao indicador de capacidade de alojamento, Albufeira destacava-se, em 2012, com um total de 43.639 camas, com Faro a somar 2.059.

“Nós estamos a apostar, com as dificuldades financeiras que temos, em fazer a divulgação do concelho, queremos trazer eventos de renome, que nos deem notoriedade, mas que, acima de tudo, tragam pessoas ao concelho”, adiantou Rogério Bacalhau, lamentando, ainda assim, que esses eventos, neste momento, produzam “um retorno económico reduzido para o concelho” devido à falta de oferta hoteleira.

O autarca exemplificou com a Festa da Ria Formosa, que leva visitantes a Faro, mas estes veem-se obrigados a ficar alojados nos concelhos limítrofes.

“Estamos a trabalhar junto dos vários operadores, temos alguns espaços aprovados em termos de hotéis, mas neste momento não é fácil”, acrescentou o presidente da Câmara.

Pub