Pub

“É fundamental criar investimentos em setores mais tradicionais, porque uma região não pode ficar tanto tempo e tão dependente de uma só monoeconomia”, disse Luís Campos Ferreira, que chefiou uma delegação da comissão numa visita de dois dias ao Algarve.

“Sem esquecer a grande marca que é o turismo do Algarve, enquanto grande salão de visitas de Portugal, é fundamental criar outros investimentos”, sublinhou Campos Ferreira, para quem os problemas que a região atravessa pela sua dependência do turismo devem “ser uma lição a tirar” destes tempos de crise.

“É, pois, recomendável que a região aproveite os seus recursos naturais, como a agricultura e as pescas”, sublinhou Luís Campos Ferreira, acrescentando que o “arrefecimento do turismo acaba por contagiar pela negativa outros setores dependentes da atividade turística”.

Durante a visita ao Algarve, a delegação da Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas, que integrou todas as forças políticas com representação parlamentar, reuniu-se com as entidades do turismo, associações empresariais, sindicatos, autarcas e responsáveis do Aeroporto de Faro e do Porto de Portimão.

"Encontrámos uma região afetada pela crise, em dificuldades, porque está a sofrer com algumas medidas, em particular com o aumento do IVA em produtos que têm a ver com o turismo", observou Campos Ferreira.

O presidente da Comissão Parlamentar de Economia disse ainda acreditar na capacidade dos agentes económicos algarvios "para ultrapassar as dificuldades" na região que regista a taxa mais alta de desemprego do país.

"Espero que as diversas forças políticas, após esta visita, façam chegar à Assembleia da República propostas ou diplomas, no sentido de corrigir e criar ajustamentos necessários à revitalização da região", concluiu.

Liliana Lourencinho com Lusa
Pub