Pub

Procissao_enterro_senhor_2016 (35)
Foto © Samuel Mendonça

À semelhança do que havia acontecido na celebração da Paixão do Senhor, a Procissão do Enterro do Senhor, popularmente conhecida como Procissão do Senhor Morto, que esta noite se realizou em Faro teve também presente as vítimas dos atentados de Bruxelas e do acidente que na noite de quinta-feira ocorreu em França, matando portugueses que viajavam a caminho de Portugal.

“Impõe-se que nesta noite e nesta procissão tenhamos presente aquilo que neste momento nos enche de alguma perplexidade. Vivemos uma semana que nos traz muitas interrogações: os atentados em Bruxelas que nos causam consternação e alguma revolta e que, naturalmente, todos condenamos”, afirmou o bispo do Algarve no sermão que antecedeu o cortejo junto à igreja da Misericórdia.

D. Manuel Quintas lamentou, a propósito, “a dificuldade em resolver o problema dos refugiados”. “É uma incapacidade que temos de reconhecer, mas não podemos, de maneira nenhuma, dar-nos por vencidos diante de tanto sofrimento, diante da procura de um bem melhor. Ainda que isso nos possa trazer algumas interrogações, a resposta não pode ser a de nos fecharmos em nós mesmos, não pode ser a de excluir quem procura um bem maior e melhor para si e para a sua família”, apelou.

Lembrando o acidente em Moulins, Allier (França), que vitimou 12 portugueses entre os sete e os 60 anos que viajavam da Suíça para Portugal, D. Manuel Quintas quis também tê-los presentes naquele momento. “Queremos estar unidos na nossa oração em relação a todas estas vítimas, seja dos atentados em Bruxelas, seja deste acidente. Queremos tê-los presentes nesta nossa procissão silenciosa, queremos ter presente as suas famílias que estão a passar uma Páscoa que, certamente, não estava prevista e queremos pedir ao Senhor que nos dê o discernimento e a coragem de nunca perder a esperança no nosso coração e, sobretudo, a decisão de nos comprometermos todos em procurar um futuro melhor e um mundo melhor para nós e para aqueles que vêm depois de nós”, afirmou.

Pub