Pub

A participação dos produtores na BioFach, "uma das mais importantes" feiras internacionais dedicadas à agricultura biológica e cuja edição deste ano vai decorrer entre 13 e 16 de fevereiro, é promovida pela Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM).

Num comunicado enviado à agência Lusa, a ADPM explica que a participação dos produtores inclui a presença na BioFach através de um "stand" conjunto, visitas guiadas à feira, organização de provas e degustações e reuniões com potenciais compradores internacionais.

No "stand" e através das provas e degustações, os produtores vão poder mostrar e dar a provar produtos do Alentejo e do Algarve e de "produção 100% biológica", como aguardente de medronho, figo-da-índia, mel, vinho, alfarroba e plantas aromáticas.

A comitiva de 30 produtores será liderada pelos presidentes da ADPM e da Câmara de Almodôvar e contará com a presença do presidente da Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral (NERBE/AEBAL).

A participação dos produtores na BioFach é promovida no âmbito do projeto "Valorização dos Recursos Silvestres do Mediterrâneo", uma estratégia de eficiência coletiva para as áreas rurais de baixa densidade do sul de Portugal, que pretende contribuir para a "valorização económica" dos recursos endógenos dos territórios do Baixo Alentejo e do interior do Algarve.

Segundo a ADPM, o projeto, cofinanciado por fundos comunitários, pretende também "criar uma dinâmica de empreendedorismo" naqueles territórios, "tendo como foco temático o ´cluster’ dos recursos silvestres".

O projeto, no âmbito do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE), envolve a Câmara de Almodôvar, o "chefe de fila", os municípios alentejanos de Barrancos e Ourique e os algarvios de Loulé, Silves e São Brás de Alportel e vários parceiros públicos e privados, como a ADPM, a entidade dinamizadora.

Lusa

Pub