Pub

"O que diz a legislação é que os contratos não podem ter um período inferior a um mês", afirmou João Casanova de Almeida aos jornalistas, sublinhando que os mesmos "não têm termo certo" e que um mês "é a referência mínima".

A edição de hoje do "Público" avança que as escolas com falta de professores só poderão celebrar contratos mensais com os docentes que vierem ainda a contratar, o que configura uma "alteração nos procedimentos de colocação de professores".

Contudo, de acordo com aquele governante, que falava à margem da inauguração de uma escola em Almancil, não houve qualquer alteração nos mecanismos de colocação de professores, tendo havido sim uma diferente "interpretação" da lei.

João Casanova de Almeida presidiu hoje à inauguração da Escola EB1/JI de Almancil, no concelho de Loulé, onde era aguardado por uma comitiva de sindicalistas.

Representantes do Sindicato dos Professores da Zona Sul (SPZS) entregaram-lhe um documento com reivindicações que incluía um abaixo assinado de encarregados de educação de uma escola de Vila do Bispo cujos alunos foram transferidos para uma sala "formada por contentores" noutra escola.

De acordo com os pais de cerca de uma dezena de crianças, os filhos, alunos do 1.º Ciclo, foram transferidos este ano letivo de uma escola que encerrou no Burgau para outra, em Budens, cujas condições são muito inferiores, referem.

Os encarregados de educação reivindicam a abertura de um centro escolar em Budens e afirmam não compreender a atitude do Ministério da Educação de encerrar aquela escola, que, dizem, foi recuperada "há muito pouco tempo".

Lusa
Pub