Pub

Após ter vivido, durante o ano passado, o arranque do Programa Pastoral projetado até 2017, a Igreja católica algarvia cumpre agora, ao longo de 2013/2014 e sob o lema “Chamados ao amor – Deus ama-vos!” (cf Jo 3, 16), o segundo ano daquele percurso programático.

Inspirado no trecho da constituição Gaudium et Spes (GS), uma das quatro constituições saídas do Concílio Vaticano II – que lembra que “os cristãos nada podem desejar mais ardentemente do que servir sempre com maior generosidade e eficácia os homens do mundo de hoje” (GS 93) –, o novo Programa Pastoral para 2013/2014 da Diocese do Algarve, ao qual Folha do Domingo teve acesso, dá este ano “particular atenção” á Pastoral da Família, procurando responder ao chamamento implícito no seu lema em três particulares “dimensões vivenciais”: “o amor celebrado na comunidade, o amor vivido na família e o amor testemunhado no mundo”

O documento sublinha que a Família deverá ser, por isso, um “incentivo inspirador e transversal a todas as iniciativas em que as demais dimensões pastorais se revejam”, apontando para a realização de um Encontro Vicarial de Famílias no dia 2 de fevereiro como “momento de chegada” e da Jornada da Igreja Diocesana no dia 7 de junho como “ação envolvente e culminante de todo o percurso pastoral a nível de Diocese”. “Para que tal aconteça as paróquias hão-de privilegiar a implementação e dinamização da pastoral familiar, e o respetivo serviço diocesano encontrará as respostas mais adequadas para as apoiar, envolvendo-se também no diálogo com as vigararias em ordem á consecução do Encontro Vicarial de Famílias e, com a coordenação pastoral, na preparação da Jornada da Igreja Diocesana”, pede-se

Para cada uma das três dimensões enumeradas foram sugeridas propostas pastorais que constituem, no seu todo, o “núcleo inspirador” do programa e, consequentemente das programações de toda a vida eclesial da Igreja algarvia, com particular tradução a nível das paróquias, das vigararias (circunscrições eclesiásticas da qual fazem parte várias paróquias) e da diocese

No que respeita ás paróquias, e particularmente no âmbito da dimensão do “amor celebrado na comunidade”, é proposto que se procure “valorizar o serviço das equipas de liturgia em ordem a uma maior qualidade das celebrações litúrgicas, com destaque para a Eucaristia”; “continuar a promover a celebração do «dia da comunidade paroquial», para despertar e(ou) reforçar o sentido de comunidade e de pertença”; “possibilitar a celebração regular do Sacramento da Reconciliação”; “continuar ou promover tempos comunitários de oração e adoração, se possível também para além da 1.ª quinta-feira de cada mês, envolvendo grupos e movimentos paroquiais”; “continuar a promover: a formação contínua para todos os agentes de pastoral, através da Escola de Leigos em novas acções de formação e partilha a nível vicarial, sobre a Gaudium et Spes e a Doutrina Social da Igreja; a criação de novos grupos de Lectio Divina”; “continuar a implementar a pastoral da iniciação cristã, orientada para uma pastoral de sequência”; “envolver e integrar em atividades e iniciativas paroquiais os pais que pedem o batismo para os filhos, os jovens que foram confirmados e os noivos que fizeram preparação para o matrimónio”; “continuar a privilegiar a formação inicial e permanente de catequistas para os diversos grupos etários e níveis de caminhada”; “implementar novos ministérios na paróquia, nomeadamente ao nível da saúde, da família, da caridade”; “investir na criação do Conselho Pastoral Paroquial e no seu regular funcionamento, como órgão colegial de participação corresponsável na vida da comunidade, expressão de comunhão e de serviço motor do seu dinamismo fraterno, espiritual e pastoral”; e “prosseguir no incremento da ação e relacionamento da disciplina de EMRC com as paróquias da área das Escolas, através do Secretariado da Pastoral Escolar”

No âmbito da dimensão do “amor vivido na família” é proposto que se procure “construir ou valorizar um serviço paroquial de acolhimento e presença da paróquia junto das famílias, com particular atenção para quem procura a Igreja para sacramentos ou se situe numa situação matrimonial canónica irregular”; “continuar a promover a missão da família na transmissão da fé aos filhos, estruturando-se a catequese de maneira a possibilitar este envolvimento e criando-se momentos de diálogo informativo e de encontro formativo”; “valorizar tempos de formação e oração para as famílias (grupos de catequese/oração familiar)”; “implementar o despertar da fé nos Infantários, particularmente, nos que dependem de Instituições eclesiais”; e “incentivar as famílias para a matrícula dos filhos na disciplina de EMRC”

No âmbito da dimensão do “amor testemunhado no mundo” é proposto que se procure “construir, onde não existam, grupos de ação sóciocaritativa devidamente organizados, enquanto rosto de caridade na comunidade paroquial”; e “renovar e alargar os grupos já existentes, valorizando a sua ação, de modo a intensificar o serviço desenvolvido com a promoção das ações habituais e de novas iniciativas”; “envolver toda a comunidade paroquial, sobretudo os mais jovens, no conhecimento da realidade local e no trabalho em rede com as paróquias vizinhas e outras instituições de apoio social da mesma área, para identificar as situações de necessidade (carência, sofrimento, solidão) e promover respostas conjuntas”; “promover fóruns abertos a todos – incluindo a sociedade civil – sobre temas específicos da Gaudium et Spes: família, cultura, economia, justiça, paz…”; e “continuar a aproveitar a celebração das Exéquias e as celebrações no âmbito da religiosidade popular, como oportunidade privilegiada de primeiro anúncio”

“Sem limitar outras iniciativas que a nível vicarial ou diocesano o Programa deste ano possa vir a despertar ou estimular”, o programa para este ano apresenta as que “deverão ser tidas em conta nas programações das vigararias e nos respetivos serviços da Diocese”.

Para além do já referido Encontro Vicarial de Famílias, a nível vicarial é proposto que se continue a “promover a Escola de Leigos” e a “implementar o CPM interparoquial ou vicarial”. A nível diocesano, para além da também já referida Jornada da Igreja Diocesana, propõe-se que se continue a “promover encontros das Instituições sóciocaritativas diocesanas e outras…”; “promover a formação inicial de Catequistas, para os diversos grupos etários e níveis de caminhada (adolescentes, jovens, adultos)”; e “promover a formação de candidatos aos ministérios ligados á saúde, á família e á caridade”

O Programa Pastoral da Diocese do Algarve para 2013/2014 será lançado e apresentado no próximo dia 21 deste mês, no contexto da Assembleia Diocesana que se realizará pelas 9h no salão da igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira, conforme o programa que se segue

Samuel Mendonça

Assembleia Diocesana
21 de setembro de 2013 – igreja de São Pedro do Mar, Quarteira

Programa

09.00h – Início do acolhimento/acreditação para quem está inscrito para almoço

10.00h – Oração da manhã

10.30h – Conferência pelo pe. Doutor António Manuel Martins

“Vaticano II, 50 anos depois. Uma leitura antropológica da Gaudium et Spes”

11.30h – Intervalo

12.00h – Diálogo com o conferencista

13.00h – Almoço

14.30h – Apresentação do Programa Pastoral 2013/2014 – Opções pastorais

Chamados ao amor

– Vivido em família – Família

– Testemunhado no mundo – Caridade

– Celebrado na comunidade – Comunidade

15.45h – Intervalo

16.00h – Eucaristia

Encerramento

Pub