Pub

IkeaO projeto comercial do IKEA para o Algarve recebeu parecer favorável condicionado da comissão de avaliação ambiental por questões relacionadas com os recursos hídricos e o ruído, informou fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve.

O processo de consulta pública e apresentação de pareceres sobre o projeto terminou a 27 de maio e recebeu pareceres negativos da Associação de Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL), das associações ambientalistas QUERCUS e Almargem e de três particulares.

A CCDR/Algarve assegurou que estas posições foram tidas em conta na elaboração do parecer agora divulgado.

O parecer técnico final foi emitido após a reunião da comissão de avaliação do estudo de impacte ambiental constituída pela CCDR/Algarve, pela Agência Portuguesa do Ambiente, pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, pela Direção Regional da Cultura e pelas câmaras municipais de Loulé e Faro, onde se localiza o terreno onde a empresa quer instalar a sua área comercial.

O projeto está planeado para um conjunto de quatro lotes localizados no concelho de Loulé, que totalizam uma área de 242.353 metros quadrados, estando 81.337 metros quadrados reservados para uma área verde de proteção e enquadramento e as obras para os acessos abrangem terrenos do concelho de Faro.

Além do espaço comercial dedicado aos produtos IKEA, está prevista uma área comercial tradicional, com 195 lojas, e um centro comercial especializado, com 125 lojas, a par de uma área de estacionamento exterior para 1.819 veículos e estacionamento subterrâneo para 847 veículos ligeiros.

O mesmo documento esclarece que ainda não estão definidas as exatas utilizações de dois lotes, “prevendo-se uma tipologia de unidades comerciais isoladas”.

Os responsáveis pelo projeto, IKEA Portugal – Móveis e Decoração e Inter Ikea Center Portugal preveem que a construção de todas as unidades comerciais, estruturas de apoio e acessibilidades fiquem prontas dois anos após o início das obras.

Pub