Breves
Inicio | DA | Projeto missionário algarvio promove festa para dar a conhecer trabalho e angariar fundos

Projeto missionário algarvio promove festa para dar a conhecer trabalho e angariar fundos

O projeto de cooperação e desenvolvimento Boluka Kua Zua (que significa nascer do sol em português), constituído em 2010 por três missionários algarvios, vai realizar uma festa missionária no próximo dia 17 deste mês em Odiáxere.

Cartaz_festa_missionaria_boluka_kua_zua1
Cartaz

A iniciativa, que terá início pelas 18h na Junta de Freguesia local com a inauguração da exposição de fotografia intitulada “Caminhos de Missão”, tem como objetivo dar a conhecer e angariar fundos para o trabalho missionário realizado desde o ano 2008, na altura ainda sem ser no âmbito daquele projeto missionário ligado à comunidade de Odiáxere da congregação das irmãs Franciscanas Missionárias de Maria (FMM).

Tendo em conta esta finalidade, a festa contará com um “Jantar de Solidariedade” pelas 20h no salão do Centro Paroquial de Odiáxere, cujo valor angariado por via das inscrições reverterá para a continuidade dos trabalhos em desenvolvimento pelo Boluka Kua Zua.

Os objetivos deste projeto são “colaborar na promoção das comunidades nos países em vias de desenvolvimento, PALOP e outros, bem como participar em ações em Portugal; assim como implementar/apoiar projetos que visem a capacitação e autonomia dos seus agentes/populações”.

A primeira missão iniciou-se no ano de 2008, com a primeira ação de trabalho missionário em terras angolanas (Saurimo). Dois anos, mais tarde, no ano de 2010, formalizou-se o projeto, após o regresso de um grupo de missionários de Moçambique (Beira), tendo-se constituído uma equipa de trabalho para a organização da formação de novos voluntários, bem como para a divulgação dos projetos e trabalho desenvolvido em terras de missão.

No ano de 2012, as ações de voluntariado tiveram vida e expressão em Cachopo, Maputo e Beira (Moçambique), MBanza Congo e Cangumbe (Angola). No ano seguinte, 2013, seguiram-se as missões por terras de Saurimo e Dala (Angola), e de Namaachaa (Moçambique). Desde o início do projeto que já partiram 14 missionários, para oito destinos de missão diferentes.

O Boluka Kua Zua está com alguns projetos no terreno, mais especificamente ao nível do apadrinhamento de crianças e jovens que se encontrem em situação de risco em duas áreas distintas, alimentar e educação, na cidade da Beira (Moçambique).

Para tentar suprir as necessidades de alimentação, o projeto de apadrinhamento é gerido através da congregação das FMM. Neste momento têm 12 crianças inscritas no projeto, havendo, porém, a falta de um padrinho/madrinha para uma das crianças. O apoio dos padrinhos consiste no envio trimestral de 65 euros que se destina à aquisição de bens alimentares (arroz, farinhas, feijão, açúcar, sal e óleo alimentar) e de higiene (barras de sabão e/ou outros) e outros considerados de primeira necessidade, distribuídos mensalmente à família de cada criança.

No que se refere ao acesso à educação, o projeto de apadrinhamento é gerido pela congregação dos Sagrados Corações de Jesus e Maria e conta com nove crianças e jovens inscritos no projeto. O apoio dos padrinhos é no valor de 45 euros por trimestre, destinando-se o mesmo a garantir a continuidade da formação escolar até ao 12º ano de escolaridade, concretamente ao nível do pagamento de propinas, material escolar e outras despesas, nomeadamente deslocações ao médico sempre que necessário.

O Boluka Kua Zua apadrinhou no ano de 2010 um projeto de construção de um centro de moagem para cereais que irá beneficiar a comunidade do Bairro da Manga, na cidade da Beira, em Moçambique, ficando o mesmo concluído este ano. Este projeto contou com o apoio da comunidade portuguesa e espanhola.

As inscrições para o jantar, no valor de 10 euros (adultos) e 8 euros (crianças dos 4 aos 10 anos), poderão ser feitas através dos telefones 282080513 e 964363899. Os donativos para o projeto poderão ser feitos através do NIB 000700000000050711723, sendo que as pessoas que queiram financiar os trabalhos poderão ainda adquirir produtos como postais, marcadores de livros, pulseiras ou t-shirts.

Verifique também

Câmara de Faro atribuiu nome do padre João Sustelo a praceta da cidade

A Câmara de Faro atribuiu no Dia do Município, 7 de setembro, o nome do …