Pub

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Faro considera que a limitação das visitas aos idosos que a atual pandemia tem imposto “é uma crueldade”.

“Eles sofrem muito com isto. Não vão morrer com o vírus, mas vão morrer de saudade, de falta de afetos da família”, afirmou José Candeias Neto em declarações ao Folha do Domingo à margem da homenagem realizada aos trabalhadores, explicando que muitos estavam habituados a serem visitados diariamente pelos filhos.

O responsável da Misericórdia de Faro, que acolhe 165 utentes idosos, divididos por três estruturas, lembra que atualmente as visitas de familiares estão limitadas a uma vez por semana e que os idosos, por pertencerem ao principal grupo de risco da Covid-19, são os mais sacrificados.

“Eu, como cidadão, posso ir ali e acolá e eles, como cidadãos, não podem sair daqui, e se forem ao hospital têm de ficar de quarentena, fechados num quarto durante 14 dias. Se vão três vezes ao hospital durante a semana então nunca saem da quarentena”, lamentou, acrescentando que essa regra já não se aplica, por exemplo, aos trabalhadores que acompanham os utentes ao hospital.

Pub