Pub

Em comunicado, os socialistas dizem que a Câmara de Faro é “a única responsável” pelo mau início do ano letivo no concelho, cuja “má preparação” está a causar problemas na maioria dos estabelecimentos de ensino.

De acordo o PS, a redução de cerca de 30 auxiliares no ensino básico face ao ano anterior e a falta de colocação de animadoras no pré-escolar leva a que existam muitas escolas “a encerrar às 15:00 e onde não existem actividades extra-curriculares”.

Os socialistas dizem ter verificado a situação através de um levantamento efetuado junto dos vários agrupamentos escolares do concelho, acrescentando ainda ter recebido “inúmeras” queixas de pais e professores.

“A coligação de direita, em particular o seu presidente e o seu responsável pela área da educação parecem ter passado o verão de férias”, ironiza o PS, sublinhando que “quem não faz os trabalhos de casa tem maus resultados”.

O PS diz ainda que o atraso na colocação de professores é “gritante” em várias escolas, situação que terá levado agrupamentos a adiar o início das actividades de enriquecimento curricular, “com prejuízo para alunos e famílias”.

No comunicado, os socialistas dizem ainda lamentar que a “educação tenha deixado de ser uma prioridade” para a autarquia, que não planeou bem o ano letivo e relegou o ensino para um “plano secundário”.

“O problema não está em saber se os rácios oficiais foram cumpridos, mas em reconhecer que não era possível o ano letivo iniciar-se com menos auxiliares, sem animadoras e sem professores colocados”, concluem.

A agência Lusa tentou obter um comentário do executivo municipal às acusações do PS mas a Câmara de Faro não quis comentar.

Lusa

Pub