Pub

© Samuel Mendonça
A muralha de Faro apresenta sinais de avançada degradação em vários pontos
© Samuel Mendonça

A concelhia socialista de Faro pediu ontem uma “intervenção urgente” das autoridades para garantir a preservação da muralha da cidade, parcialmente danificada em obras licenciadas pela câmara, mas a autarquia assegurou que o mirante que desmoronou vai ser reconstruído.

Em comunicado, os socialistas afirmaram que o município (liderado pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM) emitiu uma licença para limpeza e remoção de entulho de duas habitações degradadas na Cidade Velha, “cujos proprietários aproveitaram para demolir um elemento da muralha” (mirante), numa “clara violação” das regras de intervenção em zonas históricas.

Numa nota enviada à Lusa, fonte da Câmara de Faro adiantou que a situação estava identificada e que a licença emitida é para proceder à “contenção da fachada e consolidação da muralha” e não apenas para limpeza ou remoção de entulho, sublinhando que o mirante que desmoronou não faz parte da muralha, tendo sido acoplado já no século XX.

“Notificou-se o proprietário no sentido de proceder à elaboração urgente de um projeto de reconstrução do referido mirante, que deverá ser objeto dos pareceres das entidades competentes”, referiu a autarquia, acrescentando que solicitou à empresa responsável “que se abstenha de proceder a quaisquer obras até que as licenças sejam emitidas”.

A concelhia de Faro do PS recordou que a muralha de Faro foi classificada como Imóvel de Interesse Público em 1993 e acusou a atual liderança camarária de “falta de sensibilidade para as questões do património histórico”, sugerindo que sejam destacados técnicos do município para acompanhar os trabalhos.

“Esta é já a segunda vez que se verificam problemas com esta obra particular”, lamentaram os socialistas, lembrando que antes já se tinham registado danos físicos numa habitação vizinha devido à realização de demolições.

A Câmara de Faro defendeu que reagiu “de forma diligente”, no próprio dia da derrocada e sublinhou que a empresa que está a executar a obra já fez saber que “entregará um projeto específico para reconstrução do mirante, muito brevemente”.

Pub