Pub

No primeiro dia de operações, na terça-feira, foram retirados da água 30 fardos e na quarta-feira mais 44, num total de 2,5 toneladas, disse à Lusa o comandante Marques Ferreira.

Até ao final da manhã de hoje não foi encontrado mais nenhum fardo de droga, mas vai continuar as buscas no local até ao final do dia, precisou a fonte, frisando que nessa altura será feito um novo ponto de situação.

As operações estão a ser realizadas pela Polícia Marítima, com a ajuda de uma equipa de mergulhadores da Marinha portuguesa, uma vez que alguma da droga estava submersa, na mesma zona onde foi apreendida na segunda feira uma lancha semirrígida suspeita de ser utilizada para narcotráfico.

A lancha semirrígida, com 12,5 metros de comprimento e com três motores de 250 cavalos cada um, estava vazia quando foi apreendida durante o patrulhamento da Polícia Marítima na madrugada de segunda-feira.

Esta é a quarta apreensão deste ano de lanchas semirrígidas alegadamente relacionadas com o narcotráfico, um número que vem juntar-se a mais três apreensões idênticas registadas em 2009.

A polícia identificou ainda algumas pessoas nas imediações da zona onde apareceu a droga – Barrinha e ilhéu da Cobra – para futuras averiguações.

Lusa

Pub