Pub

Entre 01 de julho e 31 de agosto estiveram disponíveis postos de atendimento em 20 praias algarvias e até ao final do dia de hoje estarão ainda a funcionar postos em 12 praias das mais movimentadas praias da região.

Durante aquele período os hospitais e serviços de urgência básica da região foram libertados de mais de 30.500 utentes, já que apenas 364 pessoas tiveram que ser encaminahadas para outras unidades de saúde.

O plano, que já existe há mais de 30 anos, visa reforçar a prestação de cuidados de saúde aos milhares de turistas que visitam o Algarve no verão com base num protocolo entre a ARS/Algarve e a Cruz Vermelha Portuguesa.

Nos meses de julho e agosto foram atendidas nos postos de praia um total de 30.843 pessoas, a maioria das quais (68 por cento) não residentes, sendo que destas 59 por cento são de outras regiões do país e 9 por cento são estrangeiras.

De acordo com dados disponibilizados pela ARS/Algarve, a maioria dos atendimentos (15.779) deveram-se a tratamentos vários e suturas, com a medição da pressão arterial em segundo lugar na lista (9.329).

Seguiram-se as picadas de peixe-aranha e insetos (2.873), a realização de testes de glicémia (1.349) e a administração de injeções (1.149).

O pico dos atendimentos registou-se durante o mês de agosto (17.711), sobretudo na primeira quinzena, tendo em julho sido atendidas 13.132 pessoas.

Comparativamente a julho e agosto de 2010 houve uma descida de 8,6 por cento do número de atendimentos, conclui a ARS/Algarve.

Desde 2010 que os recursos afetos aos postos de praia são potenciados através da comunicação por telefone com o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU).

O Plano de Verão de 2011 dispõe também de consultas destinadas aos cidadãos que visitam o Algarve e que necessitam de cuidados de saúde na doença aguda não emergente ou de renovação de receituário para apoio a doença crónica.

Lusa
Pub