Pub

A notícia é avançada no "site" do instituto, que refere que as quatro crias, que inauguraram a temporada de partos no centro de Silves, nasceram a 05 de março, ao abrigo do programa de conservação daquela espécie, em quatro centros espanhóis e um português.

As crias são filhas de Biznaga, fêmea de oito anos que fundou o centro e que já tinha parido nas últimas duas temporadas, e Fado, um macho de quatro anos de idade nascido em cativeiro.

A fêmea teve um parto normal e não abandonou a ninhada, ao contrário dos últimos dois anos, em que inexperiência e a confusão na altura do parto a terão levado a abandonar as crias, refere o ICNF.

Janes e Juromenha, suas filhas e as primeiras crias nascidas em Silves a atingir o ano de idade, mamaram colostro (primeiro leite após o parto) nas primeiras horas de vida, tendo sido criadas artificialmente exclusivamente por humanos até atingirem os 49 dias de idade.

A partir do dia 71 de vida, as crias foram unidas à mãe, que as aceitou e parece tê-las reconhecido, tomando a iniciativa de as ensinar a caçar.

Também no centro de Silves, foi realizada a primeira colheita de embriões com sucesso na primeira fêmea de lince-ibérico a chegar a Portugal vinda de Espanha, no âmbito do programa de reprodução em cativeiro da espécie.

As crias geradas durante três temporadas consecutivas (entre 2010 e 2012) pela fêmea Azahar, de nove anos, morreram sempre, pelo que a equipa do Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI) decidiu congelar os seus embriões.

Depois de congelados em azoto líquido, os embriões foram transportados para o Banco de Recursos Biológicos do Museu Nacional de Ciências Naturais, em Madrid, onde estão armazenados.

Estes embriões podem agora ser descongelados e transferidos para outra fêmea de lince, técnica que permitirá preservar a informação genética da Azahar, que depois se confirmou ter no útero defeitos graves incompatíveis com o parto.

Azahar é proveniente de umas das últimas populações selvagens de lince-ibérico existentes na Península Ibérica, tendo chegado a Silves em outubro de 2009, com seis anos.

Foi o primeiro lince-ibérico a chegar a Portugal proveniente de Espanha no contexto do programa de reprodução em cativeiro da espécie, e o primeiro lince-ibérico a ser observado de forma comprovada no país desde o início da década de 90 do século XX.

Lusa

Pub