Pub

A organização considera que o Raidfield foi um “sucesso”. A atividade foi realizada com a finalidade de “proporcionar a todos os escuteiros algarvios deste escalão etário a vivência do ideal escutista e ser uma oportunidade de realização de um escutismo de qualidade, promovendo as diversas áreas de desenvolvimento do jovem escuteiro para uma correta integração no seu ambiente sócio-cultural, através da utilização dos recursos técnicos e pedagógicos próprios do projeto educativo escutista e do sistema de progresso da III Secção, contribuindo também para a formação integral dos jovens, através de ações que realçam os valores humanos e cristãos, nomeadamente, o respeito pela natureza, de acordo com a Lei do Escuta, a vivência de valores como a tolerância, a amizade, a aventura, o entusiasmo, a compreensão e a entreajuda, para a melhor concretização da fraternidade no Movimento Escutista”, explicam os organizadores.

Estavam previstos 125 participantes, mas o número de inscritos superou as expectativas. Cerca de 170 escuteiros partiram, na noite de Sexta-feira, 18 de março, do cais do Calhau, na Mexilhoeira da Carregação, rumo a Monchique. Partiram de barco, rio Arade acima, até ao rio Odelouca, porque o Raidfield realizou-se em três componentes: fluvial, pedestre e bicicleta. Na zona do Falacho – Vale da Lama, desembarcaram e iniciaram uma caminhada a pé, pela noite dentro, via serra, a partir do Vale da Lama, Taborda, Odelouca, passando pelo Monchicão, em direção à Pitoca, terminando o percurso no dia seguinte à tarde, já em Monchique.

Ao longo da caminhada noturna, as 19 equipas constituídas por elementos de diversos Agrupamentos escutistas da Região do Algarve foram acompanhadas e auxiliadas em diversos postos de controle e serviço, constituídos por dirigentes e caminheiros que assumiram essa função.

Após muitos quilómetros e muitas horas pela serra algarvia, com diversos desafios ao longo da caminhada, os participantes puderam repousar sábado à tarde e tomar um merecido duche quente. Bons momentos de convívio marcaram o resto do dia até ao jantar, a que se seguiu, à noite, a Eucaristia, realizada na igreja matriz de Monchique, presidida pelo padre Carlos Aquino, coadjuvado pelo diácono Manuel Chula.

No domingo, logo pela manhã, a aventura continuou. O terceiro percurso, de bicicleta, ocupou os escuteiros até ao meio da tarde, num percurso efetuado, mais uma vez, pela serra, em dificultadas subidas de terra batida, num raide Monchique – Alferce – Monchique.

Nesta “odisseia” do litoral à serra, entre os 170 escuteiros inscritos no Raidfield, participou uma equipagem de Marinheiros do Agrupamento 1331, São Vicente – Marítimos de Carvoeiro, que incluiu dois Pioneiros do Agrupamento 511 de Lagoa, acompanhados por três dirigentes de Carvoeiro.

Foi uma fantástica experiência para os 10 participantes dos dois agrupamentos, que usufruíram de uma grande aventura no melhor espírito escutista. De resto, os Escuteiros de Carvoeiro já participaram na segunda e terceira edições desta atividade que consideram uma das boas iniciativas inter-agrupamentos da Região do Algarve.

Falcão da Atalaia
Pub