Pub

Numa atividade, cujo imaginário foi o filme de animação “Valiant – os Bravos do Pombal”, constituída por três componentes – pedestre, fluvial e ciclística – cerca de uma centena de escuteiros, oriundos de diversos Agrupamentos do CNE da Região do Algarve – e Guias de Portugal de Monchique (AGP) – foram devidamente acompanhados e auxiliados em diversos postos de controlo e serviço, constituídos por dezenas de dirigentes e Caminheiros (escuteiros com idades compreendidas entre os 18 e 22 anos) que assumiram essa função.

Os Pioneiros e Marinheiros partiram, na noite de sexta-feira, 27 de abril, das Caldas de Monchique, serra abaixo, via Monchicão, Laranjeira, Odelouca, Taborda, rumo ao Falacho, onde, após muitos quilómetros e muitas horas pela serra algarvia, com diversos desafios ao longo da caminhada, e uma noite sem dormir, embarcaram ao amanhecer, no rio Odelouca, em caiaques, remando rumo às Fontes de Estômbar, onde tomaram o pequeno-almoço.

A partir daí, o percurso seguinte foi feito de bicicleta, por terrenos íngremes e irregulares, até Ferragudo, onde os esperava uma ampla pista de obstáculos no areal da Angrinha, na qual os participantes puseram à prova toda a sua destreza e espírito de patrulha. Ao final da tarde de sábado, um duche quente e algum descanso antecedeu o jantar, na ACD – Associação Cultural e Desportiva de Ferragudo, onde os participantes também acantonaram. À noite, participaram na Eucaristia, que teve lugar na igreja matriz de Ferragudo, presidida pelo assistente regional do CNE, o padre António de Freitas.

Na manhã de domingo, a atividade continuou. Após o pequeno-almoço, o percurso das 12 equipas inter-agrupamentos seguiu rumo a Carvoeiro, novamente de bicicleta, via Praia dos Caneiros, Sesmarias e Poço Partido, terminando no Cabo Carvoeiro, farol da Alfanzina. Seguiu-se o último percurso, pedestre, que levaria os participantes até Armação de Pêra, passando por Carvalho, Benagil, Marinha, Albandeira e Senhora da Rocha. Na Praia da Marinha decorreu o almoço. O Raidfiel 2012 terminaria na fortaleza de Armação de Pêra por volta das 17 horas, após dois dias e duas noites de muita adrenalina.

A organização, que considera que o Raidfield 2012 “foi um sucesso”, explica que a atividade teve a finalidade de proporcionar a todos os escuteiros algarvios participantes a “vivência do ideal escutista” e procurou ser uma “oportunidade de realização de um escutismo de qualidade, promovendo as diversas áreas de desenvolvimento do jovem escuteiro para uma correcta integração no seu ambiente sóciocultural”.

“Através da utilização dos recursos técnicos e pedagógicos próprios do projecto educativo escutista e do sistema de progresso da III secção, procurou-se contribuir também para a formação integral dos jovens com acções que realcem os valores humanos e cristãos, nomeadamente, o respeito pela natureza, de acordo com a Lei do Escuta, a vivência de valores como a tolerância, a amizade, a aventura, o entusiasmo, a compreensão e a entreajuda, para a melhor concretização da fraternidade no movimento escutista”, acrescenta a equipa.

Esta aventura escutista, da serra ao litoral algarvio, foi marcada pela chuva, que acompanhou os participantes praticamente ao longo de todo o percurso. Mas o tempo instável, chuvoso, frio e húmido, em nada prejudicou a atividade que contou igualmente com momentos de sol e calor, aliados ao entusiasmo de Pioneiros e Marinheiros.

Pub