Pub

“A Assembleia da República resolve promover a construção do matadouro público regional do Algarve, solução imediata de abate para as características de produção animal da região, no sentido de ultrapassar os constrangimentos causados aos produtores, com consequências para os consumidores e para a economia da região”, pode ler-se na edição de hoje do Diário da República.

O antigo matadouro do Algarve foi mandado encerrar em 2006 por irregularidades detetadas pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), nomeadamente falta de higiene e asseio, linhas de abate oxidadas, falta de climatização na sala de desmanche e abastecimento de água às instalações através de um furo hertziano sem registos de qualidade.

Desde então, os produtores algarvios estão obrigados a abater os animais em Beja e no Montijo, com custos elevados devido à necessidade de transporte dos animais vivos até essas cidades, fazendo depois o percurso inverso com as carcaças.

Lusa
Pub