Pub

No que diz respeito aos transportes aéreos, verifica-se os valores mais baixos em comparação com os trimestres homólogos desde 2007. No 4.º trimestre de 2011, o Aeroporto Internacional de Faro registou um movimento de 7015 voos e de 925.720 passageiros comerciais – menos 5,2% e 2,2%, respetivamente, do que no último trimestre de 2010.

Em relação aos transportes ferroviários, o sistema regional (Lagos – Vila Real de Santo António) transportou um total de 403.354 passageiros, o que corresponde a um decréscimo de 8,5% relativamente ao último trimestre de 2010. Esta é a quinta variação trimestral homóloga negativa consecutiva desde o 4.º trimestre de 2010. Quanto ao Longo Curso (ligações dos serviços Alfa e Intercidades), movimentou 106.613 passageiros, o que corresponde a um decréscimo de 17,4% relativamente ao último trimestre de 2010. Esta é a 7.ª variação trimestral homóloga negativa desde o 2.º trimestre de 2010.

No 4º trimestre de 2011, o Tráfego Médio Diário (TMD) no troço terminal da A2 na Região (S. B. Messines – Paderne) situou-se nos 5.725 veículos, o que corresponde a uma diminuição de 21,9% relativamente ao trimestre homólogo de 2010. Na A22, o TMD situou-se nos 10.755 veículos, o que corresponde a uma diminuição de 24,0% relativamente ao trimestre homólogo de 2010. Na Ponte Internacional do Guadiana, o TMD situou-se nos 9.568 veículos, o que corresponde a um aumento de 23,2% relativamente ao trimestre homólogo anterior. Tanto no troço terminal da A2 como na A22, estas são as quintas variações trimestrais homólogas negativas consecutivas (desde o 4.º trimestre de 2010). Contudo, e no caso da Ponte Internacional do Guadiana, a variação homóloga positiva de 23,2% constitui uma quebra, muito significativa, numa sucessão de variações trimestrais homólogas negativas que contabilizava já 11 trimestres.


As exceções a estas quebras generalizadas dos movimentos de passageiros e de fluxos são: o movimento de passageiros nas carreiras da Ria Formosa (por motivos que se prendem sobretudo pela extensão do tempo estival pelos mês de outubro); o aumento do Tráfego Médio Diário na Ponte Internacional do Guadiana; e o aumento do movimento de passageiros nas carreiras rodoviárias urbanas e nas carreiras rodoviárias inter-regionais. O aumento do movimento de passageiros nestas últimas ligações vem reforçar a tendência, já verificada em trimestres anteriores, de perda de importância do modo ferroviário nas ligações inter-regionais, muito afetado, também no 4.º trimestre, pelo número de greves ocorridas.

Lusa
Pub