Pub
Esta valência do apoio social paroquial tem como beneficiários pobres, sem-abrigo, toxicodependentes, prostitutas, entre outros utentes, que ali recebem uma refeição composta por sopa, segundo prato de carne ou peixe e sobremesa.

O presidente da Câmara de Loulé considera que a criação deste serviço, em 1995, demonstra a “visão” do padre Elísio Dias, pároco de Quarteira, que, “de forma pioneira”, “criou uma infraestrutura para dar resposta às necessidades sociais que já nessa altura se faziam sentir na freguesia e cidade de Quarteira”.

Seruca Emídio que, falava ontem na inauguração da nova creche do Centro Paroquial de Quarteira, reconheceu ainda nos 40 anos de serviço do sacerdote a “preocupação, sensibilidade e proximidade da comunidade”.

O autarca valorizou ainda o facto de o pároco ter alargado a área de ação da instituição paroquial a outras valências numa altura em aquela estava apenas vocacionada para os idosos.

A Câmara de Loulé, que apoiou recentemente aquele Refeitório Social do Centro Paroquial de Quarteira com um subsídio de 7 mil euros, reconheceu que “a continuidade do funcionamento deste serviço deve ser considerada e apoiada, uma vez que a população necessitada da freguesia de Quarteira recorre ao Refeitório Social para salvaguardar a sua alimentação diária”. “Esta é uma iniciativa que pretende, em tempos de maior dificuldade, dar uma resposta social que minimize este impacto negativo no tecido social quarteirense”, acrescentou a edilidade.

Samuel Mendonça
Pub