Pub

As alfarrobeiras, os pinheiros e as oliveiras entregues aos proprietários afetados foram doadas pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, pela Associação In Loco e por empresas da região, lê-se no comunicado enviado pela autarquia.

Uma vez que a época propícia à plantação termina em março, está já encomendada uma nova remessa de sobreiros e medronheiros que serão entregues em novembro, esclareceu o vice-presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel.

Vítor Guerreiro contou ainda que o processo de reflorestação tem início já este fim de semana porque a maior parte dos proprietários que hoje receberam árvores preparou previamente os terrenos.

A iniciativa está inserida no plano de intervenção social pós-incêndio, designado por LARA, e vem responder às necessidades assinaladas nas reuniões comunitárias semanais que estão a ser promovidas.

De acordo com as informações veiculadas pela câmara municipal, as árvores estão a ser distribuídas por cerca de quatro dezenas de famílias “dispostas a investir novamente na terra”.

Sete meses após o incêndio que, de acordo com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, devastou uma área aproximada de 24 mil hectares entre Tavira e São Brás de Alportel, a recuperação começa a ganhar nova dinâmica.

A recuperação de sete casas localizadas em São Brás de Alportel que arderam durante o incêndio começou no início de fevereiro.

Lusa

Pub