Pub

A iniciativa ocorre este ano por ocasião da celebração dos 800 anos da fuga de Santa Clara, em memória da sua decisão de abraçar, com a mesma radicalidade, a forma de vida evangélica de São Francisco, e realiza-se a convite das irmãs clarissas.

No passado sábado, os dois elementos chegaram à igreja de São Francisco, em Faro, por volta das 14h, trazidos de Lisboa por um membro do grupo algarvio da JUFRA Ffp, ‘Sóis de Bênção’, e foram entronizados na celebração eucarística das 18.30h, num ambiente de grande recolhimento e interioridade.

Na eucaristia, o frei José Santos Ferreira, que presidiu à celebração, regozijou-se com a presença da relíquia, que explicou tratar-se de um fragmento da capa de Santa Clara. “É para nós uma alegria muito grande ter esta relíquia. Certamente Santa Clara atrairá para todos nós as melhores bênçãos de Deus”, afirmou.

O sacerdote franciscano lembrou a conversão de Santa Clara aos 18 anos quando esta “corre para a igreja da Porciúncula onde São Francisco a espera”. “Quando os seus familiares vinham para a levar para casa, ela descobre o véu e eles desistem, consagrando-se Santa Clara ao Senhor”, relatou, lembrando que São Francisco e Santa Clara de Assis fundam, depois, a Ordem Franciscana das Clarissas.

O frei Santos Ferreira destacou a “oportunidade” de todos, durante a semana, poderem ir junto da relíquia “rezar e recordar a figura desta santa franciscana” e apelou a que tragam “os amigos e familiares, as crianças e os jovens” para se disporem a “aprender” com ela.

A relíquia e o ícone permanecerão no Algarve, disponíveis para a veneração dos fiéis, até ao próximo domingo (11 de março). Os dois elementos vão estar hoje no Carmelo de Faro, com a comunidade algarvia das Carmelitas Descalças, regressando ao fim do dia à igreja de São Francisco, para a oração das 21.15h que, desde ontem, ali se realiza diariamente. Esta iniciativa, aberta a toda a comunidade, é promovida pelo grupo algarvio da JUFRA Ffp.

O programa da visita da relíquia e do ícone tem como ponto alto uma vigília de oração que terá lugar, no próximo sábado (10 de março) pelas 21h, na igreja de São Francisco, e que contará com um testemunho, por videoconferência, de uma irmã clarissa do Convento de Montalvo (Santarém).

A peregrinação nacional da relíquia e do ícone teve início no passado dia 12 de fevereiro e termina no dia 29 de julho deste ano, sendo que os dois elementos marcarão presença ainda num acampamento da JUFRA Ofs, de 2 a 5 de agosto, em Ferreira do Zêzere, e no Encontro Plenário da JUFRA Ffp, de 4 e 5 de agosto, em Lisboa.

Santa Clara nasceu em 1194, em Assis, e faleceu em 1253. Foi a responsável pela continuidade do ideal franciscano, principalmente após a morte de São Francisco, em 1226, tendo sido canonizada, em 1255, pelo Papa Alexandre IV.

Samuel Mendonça
Pub