Pub

D. Manuel Quintas lembra que o montante, já deduzido do valor de 5% para o Fundo de Solidariedade da Conferência Episcopal Portuguesa, destinou-se “apoiar a reconstrução de igrejas destruídas pelo terramoto no Haiti”.

Num comunicado enviado, o ano passado, pelo GIDAlg – Gabinete de Informação da Diocese do Algarve à comunicação social, sublinhava-se a urgência de “ajudar os haitianos a ultrapassar as dificuldades” que a terrível sismo de 12 de janeiro de 2010 viera “acrescentar à sua já de si difícil vida”, tornando-se “imperioso para os católicos ajudarem a Igreja do Haiti a reorganizar os seus serviços de assistência espiritual aos fiéis haitianos, a reconstruir a Catedral, as igrejas paroquiais e as outras estruturas e espaços das Comunidades cristãs”.

O documento explicava ainda que a decisão do Bispo do Algarve de destinar as renúncias da Quaresma de 2010 à Igreja haitiana foi tomada “depois de reunir com o Conselho Presbiteral e com a Comissão Permanente do Conselho Diocesano de Pastoral”.

Este ano, o contributo penitencial da Quaresma reverte para o Fundo Diocesano Social, criado com o objetivo de responder a situações de necessidade, causadas pela crise, e dando prioridade às situações de carência mais graves entre os desempregados.

Samuel Mendonça

Pub