Pub

A decisão, saída da última assembleia do Conselho Presbiteral da Diocese do Algarve que se reuniu na passada segunda-feira (16 de janeiro) no Seminário de Faro, foi tomada “tendo presente a situação atual do Algarve e o aumento da procura de ajuda”, refere um comunicado enviado ao FOLHA DO DOMINGO.

Segundo o documento, o Fundo Diocesano Social recolheu até agora um total de 59 mil 487 euros, sendo 33 mil 761 euros relativos a donativos e os restantes 25 mil 726 euros provenientes da renúncia quaresmal de 2011. Do valor total foram distribuídas, até ao presente, ajudas no equivalente a 55 mil 059 euros.

A renúncia quaresmal é uma prática habitual na Igreja católica durante o período que serve de preparação para a Páscoa. Os fiéis são convidados a privar-se de bens supérfluos em favor das populações mais desfavorecidas e a entregar esse montante à sua diocese, que o encaminha para um projeto à sua escolha.

Os sacerdotes conselheiros foram ainda informados sobre a ação social da Caritas Diocesana do Algarve relativa ao ano de 2011. Segundo a Diocese do Algarve, aquela organização católica atendeu 1.425 famílias, mais 493 do que em 2010, sendo abrangidas 4.042 pessoas, o que significa um aumento de 1.288 pessoas em relação ao ano anterior.

Entre os apoios disponibilizados o ano passado está a recolha e distribuição de 6.334 peças de roupa, assim como de senhas de produtos alimentares do Pingo Doce, no valor de 12 mil 860 euros. Segundo o documento do Conselho Presbiteral, a Diocese do Algarve foi mesmo “a que mais senhas recebeu e distribuiu”.

Mas no que se refere ao apoio alimentar, a Caritas algarvia não se ficou por aqui. A organização da Igreja católica serviu ainda um total de 2.570 refeições no seu refeitório social, a funcionar desde fevereiro de 2011.

Refletindo sobre a “resposta às consequências da crise”, os conselheiros congratularam-se com o “trabalho generoso e silencioso” realizado pelas comunidades paroquiais e sublinharam a “necessidade urgente de criar grupos de ação social e de voluntariado”, nas paróquias onde ainda não existam, tal como a de “promover o trabalho em rede e em colaboração com outras entidades civis, de forma a chegar ao maior número possível de pessoas”.

Os sacerdotes conselheiros, que se debruçaram ainda sobre o Seminário, o Lausperene Diocesano, a Assembleia Diocesana, as aulas de EMRC – Educação Moral e Religiosa Católica, as casas diocesanas e a situação dos padres idosos e doentes, foram ainda informados sobre a situação do Fundo do Instituto Diocesano do Clero.

O Conselho Presbiteral, constituído em cada diocese, é uma espécie de senado do bispo, que representa o presbitério (colégio dos presbíteros, entenda-se sacerdotes), manifesta a comunhão entre o próprio bispo e o seu presbitério e exprime a fraternidade existente entre os sacerdotes. A este órgão consultivo compete auxiliar o bispo no governo da diocese, nos termos do direito e dos estatutos em vigor, para que seja promovido o “bem pastoral do povo de Deus”.

Samuel Mendonça
Pub