Breves
Inicio | Ambiente | Reserva Natural do Sapal de Castro Marim assinala 39 anos com “Dia Aberto”

Reserva Natural do Sapal de Castro Marim assinala 39 anos com “Dia Aberto”

Reserva_natural_sapal_castro_marimA Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António vai ter no sábado um “Dia Aberto a toda a Comunidade”, para assinalar o seu 39.º aniversário, anunciou ontem a câmara vila-realense.

A reserva, a segunda criada em Portugal, é tutelada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que vai promover três dezenas de atividades, entre as 09:00 e as 23:30, para comemorar os 39 anos da criação deste espaço natural, situado no estuário do rio Guadiana e partilhado pelos municípios de Castro Marim e Vila Real de Santo António, que também colaboram na iniciativa, segundo o município.

A mesma fonte precisou que vão ser feitas, ao longo de todo o dia, “cerca de 30 atividades distribuídas por várias áreas temáticas”, entre “visitas guiadas, atividades de desporto na natureza, animação musical e dança, um festival de cinema e diversos ‘workshops’”.

Entre as iniciativas previstas, a autarquia algarvia destacou uma feira de produtos tradicionais, a exibição do documentário “Ambiente e Sustentabilidade” no âmbito do festival de cinema e um concerto de encerramento com Domingos Caetano, vocalista e guitarrista da banda algarvia Íris, denominado “Música Intemporal Portuguesa”.

O objetivo desta iniciativa é, segundo o comunicado da câmara algarvia, “dar a conhecer à população local e visitantes as potencialidades” da reserva, que “foi a segunda área protegida a ser criada no país”, a 27 de março de 1975, já depois de o Parque Nacional da Peneda-Gerês ter sido classificado.

A criação da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António foi “muito importante” para a preservação desta zona húmida algarvia, mas o seu potencial turístico continua por desenvolver, diagnosticou a Quercus, no dia em que se celebrou os 39 anos.

A associação de conservação da natureza aproveitou a efeméride para fazer um balanço do trabalho desenvolvido na reserva e indicou como ponto menos positivo o “subaproveitamento” das potencialidades turísticas, ligadas sobretudo ao turismo de natureza e à observação de aves.

A Reserva Natural do Sapal Castro Marim e Vila Real de Santo António é uma zona húmida situada no estuário do rio Guadiana, onde, segundo a Quercus, há “registo de ocorrência de 169 espécies regulares e 17 espécies ocasionais, na sua maioria aves aquáticas com elevado valor de conservação, como o pernilongo, o colhereiro, o flamingo, o alfaiate, o alcaravão, a andorinha-do-mar-anã e a calhandrinha-das-marismas”.

“A análise que fazemos é positiva. A reserva conseguiu, ao longo destes anos desde a sua criação até agora, manter todos aqueles habitats num estado de conservação favorável, conseguiu-se proteger os principais valores naturais presentes e a única coisa que fica a destoar neste quadro positivo é de facto a falta de aproveitamento das potencialidades turísticas que a reserva pode oferecer”, afirmou na ocasião Paulo Lucas, coordenador do grupo de trabalho da Biodiversidade da Quercus, em declarações à Lusa.

Verifique também

Novo contrato de concessão entre o Estado e a Águas do Algarve já foi assinado

O ministro do Ambiente veio na quarta-feira ao Algarve presidir à cerimónia de assinatura do …