Pub

"Ainda não houve nenhuma decisão. Estamos a conversar e vamo-nos voltar a reunir na quarta feira, ao final da tarde", disse à Lusa Carlos Tuta, presidente do conselho de administração da Terra Exclusiva, empresa que ia substituir a Alicoop na gestão da maior cadeia de supermercados do Algarve, no âmbito do Plano de Viabilização aprovado por credores e aceite pelo Tribunal de Silves.

A reunião com o governo visa abordar as novas exigências para apoiar a grupo feitas pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (IAPMEI), que pode, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), vir a ser o responsável pelo encerramento definitivo da Alicoop.

A Alicoop, a maior cadeia de supermercados do Algarve, e que detém as empresas Alisuper, Macral e Geneco, encontrava-se em processo de insolvência desde agosto de 2009, mas graças a um plano de viabilização, proposto pelos credores e aprovado pelo Tribunal de Silves em agosto, estava a reabrir de novo as lojas.

Os responsáveis pelo projeto de viabilização do grupo Alicoop disseram antes da primeira reunião com o secretário de Estado, Fernado Medina que queriam reunir-se com o Governo para encontrar uma solução para “as novas exigências burocráticas” apresentadas pelo IAPMEI, que suscitaram “interrogações ao processo de viabilização" e "contrariam todos os compromissos e promessas” assumidos desde julho.

“É uma situação grave, especialmente quando propõe uma nova solução inexequível no tempo”, observou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços de Portugal.

Lusa

Pub