Pub

A propósito da situação de acentuada crise que o país vive, o padre Joel Teixeira sublinha, em declarações à FOLHA DO DOMINGO, que a primeira atitude de um cristão deve ser o acolhimento. “Apesar de não concordarmos com certas formas de vida, temos de acolher aqueles que nos procuram porque não estamos para julgar”, adverte o jovem sacerdote, acrescentando que “é mais fácil julgar e condenar certas atitudes do que tentar ajudar”. “É o caminho do facilitismo. Vejo o argueiro que está no olho do outro e não vejo a trave que está no meu”, critica aquele responsável, admitindo que o ser humano em geral, e também os cristãos “caem muitas vezes” neste risco. “Quem trabalha nesta área da Pastoral Social deve tentar não ser assim”, alerta.

Este foi um dos alertas deixados também pelo padre Joel Teixeira no encontro da Pastoral Social realizado no decurso da Assembleia Diocesana da Igreja algarvia, em Loulé, no passado dia 5 de outubro. O sacerdote deu mesmo alguns exemplos de decisões que as pessoas tomam e que as levam a essas “situações difíceis”, referindo-se, por exemplo, ao problema do endividamento.

Segundo o padre Joel Teixeira, os agentes da Pastoral Social devem procurar ajudar os que procuram a Igreja nestas circunstâncias a “encontrarem as soluções para a sua vida”.

Samuel Mendonça

Pub