Pub

"As intervenções estão dentro do prazo e não temos nenhuma situação de atraso no que diz respeito a projetos de execução", garantiu Valentina Calixto, em entrevista à agência Lusa, anunciando que "a intervenção da marginal de Cabanas de Tavira vai estar "terminada em maio de 2010".

"É a primeira intervenção do Polis concluída porque já tinha um projeto de intervenção feito", explicou.

O facto de os projetos de execução estarem a andar dentro das datas previstas, tal não significa que a execução das empreitadas, futuramente, não venham a sofrer atrasos", observou, contudo, aquela responsável, recordando a "complexidade da concretização das obras".

"Nós antecipámos os prazos. Acho que há uma ideia de que estas coisas normalmente sofrem de atraso, mas no nosso caso o ritmo que lhe foi imposto foi de aceleração máxima possível no sentido de avançarmos com as empreitadas o mais rapidamente possível", acrescentou Valentina Calixto.

A primeira obra do Polis a ficar pronta é a requalificação das principais artérias da vila ribeirinha de Cabanas de Tavira, uma empreitada que se iniciou em 20 de agosto de 2009 com o objetivo de requalificar a Avenida Ria Formosa e Rua da Fortaleza.

A reabilitação das quatro pontes-cais da Ria Formosa de Olhão, Armona, Culatra e Farol, são também empreitadas que vão estar finalizadas ainda este ano, adiantou a presidente da Sociedade Polis Ria Formosa, recordando que se os prazos forem seguidos como previsto setembro é o mês do fim das obras.

"Os quatro cais já estão adjudicados e o passo seguinte é o início da obra. Estamos na fase de assinaturas de contratos para que a empresa coloque estaleiros", explicou.

O reforço estrutural dos cais, colocação de "ensombramentos" e "mobiliário urbano" fazem parte da empreitada, avaliada em três milhões de euros, suportados pela Sociedade Polis e Instituto Portuário dos Transportes Marítimos (IPTM).

Uma empreitada do Polis Ria Formosa que vai ser antecipada é a renaturalização na praia da Fuzeta.

As tempestades de mar deste inverno que destruíram total ou parcialmente 44 das 71 casas existentes naquele espaço, obrigaram a Sociedade Polis a antecipar as demolições das casas para antes da época balnear de 2010, e o início está marcado para depois de dia 26 de abril.

O programa Polis tem um período de intervenção de 2008 a 2012 e conta com um investimento de 87,5 milhões de euros.

A área de intervenção é em 48 quilómetros de frente costeira e 57 quilómetros de frente lagunar e abrange cinco municípios: Loulé, Faro, Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António.

O objetivo principal é proteger e requalificar a zona costeira visando a prevenção de risco e promovendo a conservação da natureza e biodiversidade com uma gestão sustentável.

Lusa

Pub