Breves
Inicio | Cultura | Rota turístico-cultural sobre a presença árabe no Algarve arranca em 2016

Rota turístico-cultural sobre a presença árabe no Algarve arranca em 2016

Rota_omiadasO património material e imaterial existente no Algarve sobre a presença da dinastia árabe omíada por mais de três séculos vai ser dado a conhecer a partir de 2016, com a Rota dos Omíadas hoje apresentada em Faro.

A rota, que atravessa 11 municípios do distrito de Faro, está articulada com percursos sobre o mesmo tema que estão a ser preparados em mais seis países da bacia mediterrânica – Itália, Tunísia, Egito, Jordânia, Líbano e Espanha.

“Há um património edificado relevante, que nos influenciou até hoje e, por outro lado, um património imaterial e muita história que poderá contribuir para uma nova atratividade do nosso território e para levar um turismo, que está muito centrado no litoral, ao interior do Algarve”, disse a diretora regional da Cultura do Algarve, Alexandra Gonçalves, à margem do Encontro Internacional de Turismo Cultural – Projeto Umayyad que decorreu hoje em Faro.

Alcoutim, Aljezur, Cacela-Velha, Estoi, Silves, Tavira, Vila Real de Santo António, Alvor, Faro, Vilamoura, Cabo de São Vicente, Monchique e São Brás de Alportel já constam no mapa da rota que percorre caminhos antigos da região.

A rota dos Omíadas dará a conhecer a profunda relação humana, cultural, artística e científica que se estabeleceu entre o Oriente e o Ocidente, assim como a transmissão do legado grego latino à Europa através do al-Andalus.

“O domínio omíada no mediterrâneo e no Algarve correspondeu a um período importante de prosperidade económica e cultural que influenciou, para sempre, a cultura dos portugueses”, lê-se num panfleto informativo sobre a rota dos Omíadas.

Para o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, este é um projeto que vem reforçar a relação entre a cultura e o turismo, diferenciando e diversificando o destino turístico Algarve com o que lhe é genuíno.

“Faz parte da nossa história, das nossas raízes culturais e é também uma área que abrange toda a região e, em alguns casos, o barrocal e a serra, que nos interessa dar também a conhecer e divulgar”, comentou.

Apesar de cada rota ser desenvolvida localmente, elas vão formar um grande itinerário turístico internacional sobre a dinastia Omíada promovido pelo projeto internacional Umayyad cofinanciado pelo Programa European Neighbourhood and Partnership Instrument, que visa incentivar a cooperação multilateral entre a Europa e os outros países localizados na costa do mediterrâneo.

A Direção Regional de Cultura do Algarve e a Região de Turismo do Algarve são os parceiros portugueses do projeto e estão a preparar os materiais informativos e promocionais da rota ao mesmo tempo que estabelecem contacto para encontrar parceiros privados que possam ajudar a dinamizar a rota.

“Temos tanto para mostrar do nosso passado, da nossa herança e como é vamos projetar o futuro? Valorizando o que faz parte da nossa identidade!”, vincou Alexandra Gonçalves.

Verifique também

Paróquia de São Sebastião de Loulé vai criar espaço museológico com património descoberto

O pároco de Loulé anunciou a criação de um museu com o património descoberto na …