Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

A queda de um casal num buraco, hoje à tarde, em Armação de Pêra, foi causada por uma rutura numa conduta de água que fez com que o solo abatesse, disse à Lusa a presidente da Câmara de Silves.

A mulher de 60 anos e o homem de 70 caíram cerca das 15:00 num buraco na Rua D. João II, tendo a mulher sido resgatada primeiro e o homem, que ficou soterrado até à cintura, apenas duas horas depois da queda, às 17:15, numa operação dificultada pelo terreno arenoso, segundo a Proteção Civil.

Em declarações à Lusa, a presidente da Câmara de Silves, Rosa Palma, explicou que o episódio ocorreu nas proximidades de um local onde já estava sinalizada uma rutura nas condutas de água.

“A escorrência de água poderá ter feito com que ficasse mais sensível o solo”, observou a responsável, que admite que as ruturas nas condutas de água no concelho são frequentes.

Aos jornalistas, o comandante da operação de socorro, Luís Simões, disse que a mulher ficou com ferimentos ligeiros, mas que ainda se desconhece o estado clínico da segunda vítima a ser retirada, embora estivesse consciente.

Segundo fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), o homem apresentava queixas na região dorsal e abdominal, tendo sido encaminhado, tal como a mulher, para a unidade de Portimão do Centro Hospitalar do Algarve (CHA).

Os técnicos dos serviços municipais de Silves estiveram no local a avaliar a situação e vão estabelecer um perímetro de segurança.

Segundo a presidente da autarquia, está a ser preparado um levantamento das zonas com ruturas reincidentes em Silves.

Contudo, as possibilidades financeiras da autarquia não permitem a substituição imediata de toda a rede, pelo que a opção será uma substituição faseada, concluiu.

Pub