Pub

O helicóptero da Força Aérea Portuguesa chegou ao local por volta das 14:00 e a operação de resgate prolongou-se por mais de uma hora “devido à zona de difícil acesso e ao estado alterado do mar”, disse à Lusa o capitão Cruz Martins daquela capitania.

A falésia, situada a oeste da Fortaleza de Sagres, junto à praia do Tonel, tem um declive de cerca de 60 metros e os bombeiros de Vila do Bispo ainda tentaram, em vão, o resgate por terra.

Não se sabe quando ocorreu o óbito, uma vez que não há registo de alarme por queda de alguém à água nem de qualquer turista ou pescador lúdico desaparecido na zona nos últimos dias ou horas, indicou a mesma fonte.

A hipótese de o acidente ter ocorrido numa zona próxima e de o cadáver ter sido levado pela corrente até aquele local não é descartada pela polícia marítima, que vai proceder à abertura de um inquérito para apurar os factos.

Esta manhã, dois cadáveres foram detetados no mar em duas zonas distintas de Sagres mas fonte da Capitania do Porto de Lagos confirmou à Lusa que “não existe correlação entre os óbitos.”

O primeiro incidente ocorreu cerca das 11:00 da manhã, quando uma turista alemã, de 36 anos, caiu ao mar numa zona de rocha baixa próximo da praia da Ingrina, na costa sul a leste de Sagres.

O alerta, dado pelo companheiro da vítima, fez mobilizar para o local a embarcação salva-vidas da Marinha estacionada em Sagres, que recolheu o corpo e o transportou para terra. O óbito foi confirmado pelo médico do INEM, entretanto chamado ao local.

Na operação de resgate estiveram envolvidos um helicóptero da Força Aérea, uma equipa de salvação em grande ângulo da corporação dos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo e a embarcação salva-vidas de Ferragudo do Instituto de Socorros a Náufragos.

Lusa
Pub