Pub

Na leitura do acórdão do caso do sargento da GNR, o Tribunal de Loulé decretou ainda uma pena de seis anos para o taxista, cumplice do sargento Manuel Cascalheiro no tráfico de droga, e dois anos de pena suspensa por igual período para a companheira.

O sargento da GNR foi detido a 30 de abril pela Polícia Judiciária perto de Boliqueime (Loulé), no Algarve, com mais de 100 gramas de cocaína, encontrando-se em prisão preventiva no presídio militar de Tomar.

O sargento, inicialmente, vinha acusado de um crime de tráfico agravado relacionado com a quantia avultada, mas durante o julgamento fez-se prova de que não houve essa quantia, tendo-se procedido a uma alteração.

Uma das testemunhas neste caso judicial foi Luís de Jesus, conhecido por “Evaristo”, um empresário da noite algarvia, antigo rosto do Clube Casa do Castelo e antigo responsável pelo Sacha Beach, em Portimão.

Inspetores da Judiciária disseram no Tribunal de Loulé que durante as interceções telefónicas captaram informações de que o empresário da noite Algarvia, Luís de Jesus, comprava cocaína através de um taxista, que alegadamente se abastecia com o sargento da GNR detido e acusado de tráfico de droga.

Lusa

Pub